Análise – Ultra Street Fighter II: The Final Challengers

Mais uma consola que chega e mais uma vez a Capcom cria uma edição de Street Fighter 2 para a acompanhar. Por esta altura, já perdi a conta a todas as versões do jogo, mas existe sempre mais uma para adicionar à contagem.

O lançamento da Nintendo Switch conta com Ultra Street Fighter II: The Final Challengers, o que indica que este poderá ser a derradeira edição (até à próxima claro!). No entanto, este Street Fighter 2 é bom naquilo que já fazia bem e um pouco fraco em tudo o resto.

Ultra Street Fighter II: The Final Challengers não é um jogo diferente do que toda a gente conhece, se bem que, a chegada à Nintendo Switch adiciona algumas coisas que podem agradar a alguns e frustrar todos os outros. Ou seja, tudo o que seja inventar demais, acaba por não sair lá muito bem.

Começando pela parte boa, o central do jogo que passa pelo combate continua a ser verdadeiramente bom. O sistema clássico e mais que revisto de Street Fighter 2 está cá e recomenda-se. Depois de todos estes anos o combate continua a ser divertido e vibrante como sempre, mantendo a glória do passado.

É uma pena que os Joy-Con da Switch não tenham sido feitos a pensar em jogos de combate. Os analógicos em especial são insuficientes para fazer tudo com precisão, o que é essêncial num jogo como Street Fighter. O ambiente melhora um pouco com o Classic Controller, mas se jogarem apenas com um dos dois Joy-Con, o sistema fica ainda mais impreciso.

No que toca a modos, existe o arcade clássico, versus e afins, no entanto também surgem algumas coisas novas. A melhor delas é o online, que funciona de forma positiva, mas que não vai além dos modos básicos. Depois existe o Buddy Battle onde lutam dois contra um em vida partilhada e o Way of the Hado, um modo terrível one usam os movimentos imprecisos dos Joy-Con para simular as habilidades de lutador.

Como disse antes, tudo o que sejam modos “novos” tirando o Online, não são nada de especial e acabam por aumentar o número de opções no menu, mesmo não sendo escolhas que vão fazer muitas vezes.

Ultra Street Fighter II: The Final Challengers é um jogo clássico com um lifting real na sua apresentação. Se não forem fãs do visual mais actualizado ao estilo do HD Remix, podem sempre trocar para os sprites antigos. Pessoalmente, gostei mais de jogar na Switch com os novos gráficos. Dependendo da forma como jogam, podem também contar com as múisicas clássicas ou remasterizadas.

Embora não seja uma versão revolucionária ou perfeita de Street Fighter 2, Ultra Street Fighter II: The Final Challengers faz bem a parte principal, algo que consegui comprovar com a quantidade de pessoas que consegui juntar em redor da consola para jogar à vez. Podia ser muito melhor no que toca a modos extra e corre numa consola que exige comando Pro para que seja uma experiência precisa, mas vai certamente agradar aos saudositas e fãs que querem mais Street Fighter, só é pena o preço algo elevado.

Positivo

  • Combate Super afinado
  • Multijogador imediato
  • Online funciona bem
  • Modo clássico e Remix

Negativo

  • Novos modos são maus
  • Joy-Con são imprecisos nestes jogos
  • Preço elevado de lançamento

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.