Análise – Toy Story 4

Toy Story é uma série que faz parte da infância de muitos. Eu já estava por cá quando o primeiro foi lançado e os restantes acabaram por acompanhar muitos outros ao longo dos anos.

Quando o terceiro foi lançado, a Pixar conseguiu criar um filme com grande qualidade que manteve o espírito da série bem vivo. Curiosamente, não tinha grandes esperanças que o mesmo fosse acontecer com um quarto filme, afinal, é complicado fazer com que um novo lançamento mantenha a qualidade e novidade dos anteriores. Já devia saber que duvidar das capacidades da Pixar é má ideia.

Toy Story 4 consegue criar uma experiência de crescimento e evolução de personagens em perto de meia hora e meia que faz sentido tanto para quem não conhece os brinquedos, como para quem viu todos os filmes. Neste quarto episódio o foco vai praticamente para Woody e como o aparecimento de um novo brinquedo criado pela sua criança o vão fazer ver o mundo de forma diferente.

Gostei muito de ver como a Pixar conseguiu dar um bom destaque às personagens que realmente importam, sem nunca ignorar os secundários, além disso, são introduzidos novos brinquedos que foram muito bem concebidos e ajudam a dar ainda mais significado e peso à história. O mais interessante é que existe um bom peso e medida entre comédia e aventura, com todos os momentos mais sérios e de perigo.

Entre todas as personagens novas, fiquei fã do Forky e da sua obsessão por lixo e da nova vilã, a Gabby Gabby. Estás são duas personagens que fazem com que o filme seja ainda melhor, servindo de motor para muitas das mudanças entre comédia e situações mais sérias. De alguma forma, a Pixar consegue equilibrar isto muito bem e as duas personagens acabam por até evoluir durante o filme, oferecendo algumas surpresas. Não posso também de deixar de referir o fantástico regresso de Bo Peep, a “amada” de Woody que acaba por roubar grande parte do protagonismo apenas por ser uma personagem espectacular.

Embora o ritmo do filme seja bastante bom na sua generalidade, por vezes alguns momentos acabam por ter de ser feitos de forma mais “apressada”. Gostava de ter visto mais sobre algumas personagens secundárias que vão aparecendo e é pena que o universo da feira popular não tenha sido mais explorado. Além disso existe uma parte onde existe quase uma repetição de cenas que me pareceu desnecessário.

É engraçado ver como um dos filmes que iniciou a geração da animação em 3D nos filmes chegou a uma era onde consegue ser visto com a tecnologia que faz com que o universo pareça muito mais natural. Para alguém como eu que viu o primeiro filme quando ele foi lançado, a memória engana bastante, mas Toy Story 4 consegue mostrar o que se fez em mais de 20 anos de evolução.

A versão que vimos a convite da Disney era a versão em inglês e sem 3D (óptimo). Tenho a dizer que as vozes de todas as personagens encaixam perfeitamente e os actores estão muito bem em praticamente todos os momentos. Claro que outra coisa não seria de esperar para uma produção destas não é?

Não é costume que um série chegue a um quarto episódio e consiga mostrar um palmarés verdadeiramente positivo, especialmente quando falamos de filmes de animação. De alguma forma, a Pixar tem o segredo para o sucesso nos seus cofres e isso consegue ser visto em Toy Story 4. Este é o filme que fecha o arco de algumas personagens da melhor forma e tanto fãs como novos espectadores vão adorar este novo filme.

Não se esqueçam, evitem ver trailers e muitos artigos antes do filme, a experiência vai ser ainda melhor.

 

Positivo:

  • Bom desenvolvimento de personagens
  • Comédia para miúdos e graúdos
  • Novas personagens bem conseguidas

Negativo:

  • Pouco tempo para expandir mais as novas áreas
  • Um dos momentos que se repete era excusado

 

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...