Análise – The Stretchers

Vindo dos Tarsier Studios que também trabalharam em Little Nightmares ​e Tearaway Unfolded, chega até nós The Stretchers ​para a​ Nintendo Switch. The Stretchers ​é um jogo de género de puzzles, com um visual desenho animado 3D.

The Stretchers ​foi pensado essencialmente para ser jogado com amigos (ainda que também seja possível jogar apenas com um jogador) ao estilo de ​Overcooked​. Mesmo a dois jogadores, ou apenas um jogador, seremos dois paramédicos extremamente desajeitados, mas sempre prontos para salvar os cidadãos com uma doença chamada Dizzies, criada pelo Captain Brains .

Começamos o jogo no quartel de bombeiros onde nos explicam como se interage com o jogo: como movimentar, agarrar nos objectos e até onde podemos mudar o visual das personagens. Mas é quando saímos da garagem na nossa ambulância que começa a nossa aventura.

The Stretchers desenrola-se em duas partes: conduzir a ambulância até aos locais e salvar os cidadãos. Conduzir a ambulância é uma adrenalina sem sombra de dúvida mas quando se chega ao local, as coisas começam a ficar mais complicadas, de nível para nível, controlar dois personagens ao mesmo tempo é muito complicado, é preciso um bom plano e boa coordenação.

Com isso em mente vem uma das partes mais complicadas, o cenário. Cada cenário tem peripécias para nos fazer gastar tempo como: canhões, aspersores de água, animais descontrolados e caixas a cair de sítios menos prováveis. Portanto a ajuda de um amigo é sempre bem-vinda.

Em termos de controlos The Stretchers é bastante simples, contudo no meio do salvamento vemos que o que é simples pode-se tornar um pouco mais complicado. De vez em quando vão acabar por largar a maca, podemos cair num lago ou rio com um doente, ou mesmo escorregar numa casca de banana, mas nada que com um pouco de paciência e hábito não resolva.

The Stretchers é um jogo composto por muitos níveis, 17 são salvamento e o resto são níveis em que temos de ser um cidadão exemplar ao cortar árvores, cortar relva, destruir pedras com fogo de artifício, bem, coisas normais de um bom cidadão. No decorrer de cada missão vamos adquirir pequenas recompensas (autocolantes) por completar vários objetivos como por exemplo, carregar várias pessoas numa só maca, cortar relva ou mesmo carregar lutadores de sumo.

No meio desta aventura louca aparecem personagens secundárias que nos ajudam na cura desta doença, será que são só médicos? Eu respondo “não”! É verdade que temos uma equipa de médicos que desenvolveram uma máquina chamada De-Dizzler 3000 para curar a doença, mas também contamos com a ajuda de um velhote, de seu nome Professor Doutor, que dá vários “upgrades” à nossa ambulância e ao quartel, tornando os mesmos mais acessível para missões futuras. Por último mas menos importante, temos uma operadora que ao longo da nossa jornada nos orienta, dando informações sobre a próxima missão.

O maior desafio em The Stretchers é tentar jogar só com uma pessoa. Em modo portátil ou mesmo com pro controler as coisas ficam difíceis. Controlar cada personagem com metade do comando não é fácil e tentar cumprir a missão antes que o tempo termine para termos o bónus é um bom desafio. Por isso é sempre melhor jogar com duas pessoas.

Em termos de aspecto, ​The Stretchers é um jogo com muita vida, tem bastantes cores e modelos em 3D com um design em “cartoon”. A possibilidade de destruir cenários, derrubar postes e sinais de trânsito com a ambulância, dá uma adrenalina extra ao jogo. Mas não posso dizer o mesmo em termos de banda sonora, senti muito a falta de variedade de música durante os níveis. Os sons são repetitivos e a música de fundo torna a imersão no jogo um pouco complicada.

Em suma, se gostam de jogos como ​Overcooked então ​este será o jogo que procuram, simples, com muitos puzzles engraçados, uma história divertida cheia de energia e com algum sentido de humor, The Stretchers é uma boa aposta.

Positivo:

  • Muitos desafios durante as missões
  • Jogar com 2 jogadores é bem melhor
  • Visual colorido
  • História divertida

Negativo:

  • Controlos
  • Bugs no cenário
  • Demasiada informação no ecrã
  • Banda sonora

Daniel Silva

Desde pequeno que jogo, tenho uma grande paixão pela Nintendo, jogador dos Next Squid (equipa de Splatoon 2). Adoro RPG e passar muito tempo a jogar com a malta. Sou membro da comunidade desde que me lembre e adoro chocolate!

More Posts - Website

Follow Me:
Facebook

Share

You may also like...