Análise – The Legend of Zelda Tri Force Heroes

the-legend-of-zelda-triforce-heroes-jogabilidade-video-pn-n

A Nintendo continua a ser a marca que melhor consegue re-inventar os seus jogos sem inventar muito ou mudar o esquema original.

Vejam o caso deste The Legend of Zelda Tri Force Heroes. À primeira vista, é um jogo normal de Zelda com vista aérea, no entanto, consegue ser um jogo de puzzles. É uma aventura como os originais, mas com uma forte vertente cooperativa.

the-legend-of-zelda-tri-force-heroes-antevisao-preview-pn-n_00005

Na realidade, The Legend of Zelda Tri Force Heroes são dois jogos num só. Por um lado um jogo de acção cooperativo, por outro um jogo de puzzle puro e duro, mas tudo depende da forma como o jogam.

O estilo de jogo de The Legend of Zelda Tri Force Heroes varia consoante o número de jogadores que estão presentes. Ou jogam sozinhos, ou até com mais duas pessoas. A melhor variante é certamente com amigos e em grupo, mas o mundo tem outras cores a sós.

the-legend-of-zelda-tri-force-heroes-antevisao-preview-pn-n_00006

Se são fãs de jogos de puzzle, então jogar sozinho é um dos melhores exemplos do género, pois controlam cada um dos Links de forma individual, saltando entre eles. É algo como posicionar um link num determinado sítio, usar dois ou os 3 para formar torre, ou matar um monstro em equipa com cada um deles a desempenhar um determinado estilo de ataque.

Tudo isto requer uma grande coordenação, paciência e precisão, o que resulta em muitas falhas, alguns momentos de pânico e frutração, tal como um bom jogo de puzzle deve ser. No entanto, também é demasiado monótono e repetitivo, pois é preciso fazer algum backtracking com as personagens, e realizar actividades que foram pensadas com um grupo de jogadores reais em mente.

the-legend-of-zelda-tri-force-heroes-antevisao-preview-pn-n_00003

É por isso mesmo que The Legend of Zelda Tri Force Heroes brilha quando jogado em equipa com amigos (já lá vamos ao online). Em conjunto, esta é uma das experiências mais divertidas, interactivas e dinâmicas que joguei este ano em modo cooperativo. Jogando com novatos ou veteranos, o jogo acaba por fluir mais rapidamente e quando jogado com veteranos, é como se fosse uma melodia sincronizada.

Existem vários objectos que podem usar em equipa, como flechas, bombas, jarros de vento, entre outros, estes elementos são oferecidos no início do cenário e quem os apanha fica responsável pela sua utilização. Cada monstro tem fraquezas e certos puzzles precisam destes items, por isso entre experimentação e tentativa erro, senti sempre que o jogo estava perto de rasgos de design brilhante.

the-legend-of-zelda-tri-force-heroes-antevisao-preview-pn-n_00002

No que toca ao online, o caso já muda algo de figura, pois as partidas podem ser fantásticas ou terríveis, dependendo da sorte. Se encontram bons jogadores, vão ter uma boa experiência, se encontram maus, preparem-se para sofrer e desesperar. Mesmo com os ícones de fala rápida, é complicado coordenar e ter um resultado satisfatório quando todos os colegas jogam como crianças do infantário.

De qualquer forma, para mim, The Legend of Zelda Triforce Heroes vence pela inclusão do Download Play, que embora não permita aos jogadores visitantes avançar no jogo livremente, possibilita jogar toda a campanha e todos os cenários que estão incluídos, tudo isto com apenas um cartucho para os três. Só por este elemento, já vale a pena investir no jogo, caso tenham mais 2 amigos/as com uma consola 3DS.

the-legend-of-zelda-tri-force-heroes-nova-arte-render-pn-n_00038

Em ternos de visual, estamos a a falar de algo bem próximo do que se pode ver em A Link Between Worlds e a banda sonora é o típico da série, embora com algumas música novas bastante divertidas e que encaixam bem neste mundo de jogo.

The Legend of Zelda Triforce Heroes é um verdadeiro sucessor para Four Swords, mas é mais do que isso, é uma evolução natural que encaixa que nem uma luva na Nintendo 3DS e que merece ser jogado com amigos.

the-legend-of-zelda-tri-force-heroes-antevisao-preview-pn-n_00004

Opinião extra por:
Roberto Silva

Tri Force Heroes é mais uma adição na linha de re-imaginações que a Nintendo tem vindo a desenvolver. Ideal para jogar com os amigos é um jogo em que o trabalho em equipa é não só constante, como também fulcral. Verdade seja dita também o podem jogar a solo mas é quase como comer um fondue: sabe bem, mas com companhia é sempre melhor. Desde que saibam com quem estão a comer.

Passei a maioria das minhas horas em Tri Force Heroes a jogar online e posso dizer que foi ao mesmo tempo uma das melhores e mais frustrantes experiências que já senti. A constante panóplia de jogadores que não sabem o que fazer causa uma verdadeira “dor de fígado” aos jogadores mais experientes que sabem quase imediatamente o que fazer e a própria maneira como o jogo foi desenhado, não contribui para o lado dos jogadores mais experientes e apenas é preciso um destes para estragar a experiência aos outros dois.

É verdade que o jogo oferece um quadro de opções de comunicação mas para os menos experientes com a franquia de The Legend of Zelda. essas opções não são suficientes. O caso muda altamente de figura para os mais avançados. Quando se juntam 3 jogadores experientes quase que jogamos de olhos fechados visto isto ser tão familiar ao universo Zelda, às vezes até demais para o seu próprio bem.

Fora o factor da quantidade de jogadores, este jogo é The Legend of Zelda puro e duro. Puzzles e desafios que nos permitem comprar os mais variados fatos quase que conseguem que eu me sinta interessado pelo ModaLisboa. Além disso, a banda sonora com alguns retoques modernos apenas, ajuda a que passe horas a mais do que devia a jogar Tri Force Heroes.

The Legend of Zelda: Tri Force Heroes é um party game disfarçado de jogo de Puzzle. No fundo, Tri Force Heroes é como jogar badminton. Quando jogamos sozinhos fartamos-nos depressa, quando jogamos com desconhecidos é uma roleta russa sobre a qualidade da nossa equipa, mas é com os nossos amigos que fazemos as melhores e mais hilariantes jogadas, mesmo que sejam a jogada mais parva à face da terra.

Opinião extra por:
Luís Lemos

É engraçado ver como a série The Legend of Zelda consegue oferecer grandes aventuras com um protagonista que trabalha grande parte das vezes sozinho, mas manter a mesma essência e adicionar mais duas pessoas à aventura é uma grande tarefa. Sem dúvida que a fórmula conseguida em The Legend of Zelda: Four Swords foi aqui introduzida e ainda ampliada neste Tri Force Heroes.

O ponto mais forte deste jogo está sem dúvida no co-op que nos junta a mais dois jogadores para resolver os vários puzzles. Jogar em co-op local é um trabalho em equipa bastante interessante e que torna toda a tarefa de resolver puzzles muito mais fácil. O jogo ganha uma maior velocidade e torna-se mais aliciante com o passar dos níveis.

Existem várias maneiras de colaborarmos com os nossos colegas, seja em puzzles de precisão ou coordenação, mas é também engraçado ver que podemos segurar e empilhar os nossos colegas sob a nossa cabeça para formar um totem e chegar a zonas inacessíveis.

A personalização da nossa personagem através da compra de novos fatos é também um ponto forte deste jogo. Não só iremos fazer de tudo para conseguir os ingredientes suficientes para desbloquear novos fatos, como também iremos ajudar os nossos amigos a conseguir o mesmo.

No geral é uma abordagem diferente às aventuras de Link mas que não deixa de ser um aposta bastante divertida para partilhar com os nossos amigos. Se estão à procura de algo semelhante aos jogos anteriores, então poderão ficar surpreendidos com esta aventura peculiar.

Positivo:

  • Mecânicas bem pensadaspn-recomendado-ana
  • Vários cenários geniais
  • Fantástico para jogar com amigos
  • Fatos para coleccionar aumentam o apelo à exploração
  • Download Play vende o jogo por si

Negativo:

  • Jogadores online que não percebem nada
  • Sinais de comunicação isuficientes
  • Jogar sozinho pode tornar-se aborrecido

pn-muitobom-ana

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...