Análise – Tales From The Borderlands Episode 2: Atlas Mugged

Tales from the borderlands ProximoNivel 1

Foram 3 meses de espera, 3 meses agoniantes mas finalmente chegou! Tales From The Borderlands volta com o segundo episódio, Atlas Mugged, mas será que a espera foi recompensada?

A história é retomada momentos após o fim do primeiro episódio, da perspetiva de Fiona, Rhys parece estar a alucinar e enquanto o grupo tenta encontrar uma pista sobre o que fazer a seguir, Rhys debate-se com os seus fantasmas.

Tales from the borderlands ProximoNivel 2

A minha experiência com o primeiro episódio de Tales from the Borderlands foi boa, gostei do que vi mas nada que me fizesse dizer que se tratava de um jogo obrigatório. Mas com Atlas Mugged o caso mudou de figura, tal como o Daniel Silvestre, Roberto Silva e o Mr. Remedy podem confirmar, eu quase morri a rir com este segundo episódio. A essência de Borderlands foi captada maravilhosamente neste segundo episódio, momentos cómicos, inesperados, tresloucados, exagerados e soberbos, tudo muito bem misturado com uma história a ficar cada vez mais interessante fizeram aquele que eu considero o melhor episódio elaborado pela TellTale até hoje.

Num raro momento por parte da TellTale existem vários caminhos realmente diferentes dentro do jogo. Existem secções que apesar de culminarem no mesmo sítio são jogadas de forma completamente diferente. Para dizer a verdade, existem mesmo partes da história que são omitidas devido às escolhas que temos pela frente. Fico curioso para ver se estas personagens que nem todos ficámos a conhecer irão reaparecer no futuro.

Tales from the borderlands ProximoNivel 3

É recomendável que tenham bem presentes na memória as vossas escolhas do primeiro episódio, no meu caso o LoaderBot proporcionou-me momentos em que me vieram as lágrimas aos olhos pelas suas atitudes dado as minhas escolhas. Apesar de não serem muitos momentos, são os suficientes para relembrar-mos constantemente alguns dos pontos mais importantes do início da nossa aventura.

Em termos técnicos é um jogo idêntico a Zer0 Sum, existem alguns problemas ao nível do áudio sobretudo no que diz respeito a falas. Por vezes as falas e as legendas não coincidem a 100% havendo algumas expressões diferentes, enfim tudo aquilo ao qual eu quase não liguei por estar tão embrulhado na narrativa.

Tales from the borderlands ProximoNivel 4

Estranhamente e este será talvez o ponto mais controverso tendo em conta as minhas análises aos outros jogos da TellTale, aqui não me fez confusão nenhuma se era suposto estar a explorar, conduzir, conversar, ou em QTE, nenhuma destas tarefas se tornou enfadonha. Existe uma mistura que engloba tudo o que descrevi acima, mas dado o tema de Borderlands estar tão bem trabalhado e este praticamente não ter momentos parados, que nenhuma secção se arrastou. Mesmo as porções que envolvem procurar um dado objeto num local foram divertidas para mim. Ao contrário do que acontece com The Walking Dead onde na minha opinião o tema do jogo acaba por as justificar, não deixam de ser chatas, aqui até ligar uns quantos interruptores se assemelha a uma festa.

Para tirar o máximo partido do segundo episódio é extremamente necessário conhecer o universo, mas não é obrigatório, qualquer pessoa desde que tenha jogado o primeiro episódio de Tales from the Borderlands pode-se atirar de cabeça e mesmo assim passar um par de horas cheias de emoção e acima de tudo gargalhadas, muitas gargalhadas.

Positivo

  • Históriapn-recomendado-ana
  • Humor
  • Handsome Jack é ainda melhor quando está morto
  • Bastante dinâmico
  • Opções diversificadas
  • Algumas das nossas escolhas do primeiro episódio assombram-nos constantemente
  • Alguns pontos do jogo vão requerer que o passem pelo menos uma segunda vez para poderem ver tudo

Negativo

  • Alguns problemas de sincronização

placa excelente4

Alexandre Barbosa

Também conhecido como Tylarth, sou um grande fã de videojogos no geral e séries de TV.

More Posts

Alexandre Barbosa

Também conhecido como Tylarth, sou um grande fã de videojogos no geral e séries de TV.

  • Marco Correia

    “Num raro momento por parte da TellTale existem vários caminhos realmente diferentes dentro do jogo” true story.

    Concordo a 100% com a análise, já quando terminei o 1º episódio eu disse logo que ia ser o meu jogo preferido da telltale. Não é que Tales from the Borderlands faça sempre um bom trabalho no que conta a “escolhas”, mas como estou sempre a adorar a narrativa ou a rir-me eu nem sequer reparo se a Telltale está a sacar da sua “Telltale Bullshit”.

    p.s “Telltale Bullshit” é o nome que dou à treta deles sobre as “escolhas”, para mim ou um jogo tem escolhas e o que eu escolho interessa para a história, ou não tem e eu jogo a história tal como eles querem. Basicamente ter escolhas ou não é me igual, mas se for para ter, elas que sirvam para alguma coisa.

    EDIT: AH! e este episódio tem daleks!

    • Silver4000

      Eu desconfio que o caso de escolher X e ser mesmo diferente do que escola Y seja por a Gearbox estar metida na história.
      De qualquer das maneiras foi uma boa surpresa e é tal como dizes, isto com o mundo do Borderlands está cheio de comédia que nem se repara no resto.

  • Silver4000

    GOTY