Análise – Sushi Striker: The Way of Sushido

Jogos de puzzle vêm em vários formatos e com diferentes objectivos, quando pensamos que já vimos de tudo eis que aparece Sushi Striker: The Way of Sushido. Nesta aventura que decorre num mundo sem peixe, o Sushi é visto como uma iguaria muito especial que acaba por causar uma guerra. Nós jogamos como um rapaz, ou rapariga, que se encontra do lado oprimido pelos vencedores que proíbem o consumo de todo e qualquer sushi, ou em alguns territórios permitem que este seja desfrutado com algumas condicionantes. Depois de alguns encontros com personagens bastante carismáticos acabamos por nos juntar a um grupo de resistentes que querem salvar o mundo desta tirania, tendo assim início a nossa aventura, embora nem tudo seja assim tão simples.

Desde logo Sushi Striker acaba por se distinguir pela sua narrativa, personagens e aspecto anime. Todas as personagens têm voz, ainda que por vezes fique cortada nas primeiras palavras, mas é o suficiente para estabelecer o tom. Existem também várias cinemáticas completamente animadas e a verdade é que fiquei entusiasmado para ver uma adaptação a anime desta aventura tresloucada. As várias personagens que encontramos dão bastante cor a esta aventura, desde rivais, amigos e até vilões existem muitas personalidades que interagem connosco e fazem com que este jogo de puzzles fique ainda mais viciante, uma vez que para além dos desafios ainda queremos saber o que se passa na história.

Os combates são momentos bastante frenéticos onde o essencial é juntar pratos da mesma cor, independentemente do tipo de sushi que contêm, mas convém comerem o máximo de peças possíveis do vosso sushi favorito. Os combates têm como objectivo derrotar o inimigo comendo várias peças de sushi, empilhar os pratos e em seguida disparar estas enormes pilhas de pratos sujos para cima do oponente. Parece fácil, mas o jogo vai complicando a nossa vida ao adicionar poderes, velocidades e variações em alguns combates. Existem muitas mecânicas associadas ao combate que vão descobrir ao jogar, todas elas fazem sentido numa perspectiva lógica e acabam por ser bastante perceptíveis ao jogar, parecendo uma confusão enquanto são explicadas como as restrições ou combos.

Outro aspecto extremamente importante são os Sushi Sprites, estes são uma espécie de Pokémon que se juntam a vocês com a progressão da história e não só, conforme vão lutando com eles ao vosso lado eles também evoluem e ajudam-vos com os poderes deles. Jinrai é um destes Sushi Sprites que se junta a vocês logo no início e é uma espécie de mascote do jogo. Ele e o vosso personagem interagem entre si durante a história, acabando por criar um ambiente bastante divertido e interessante durante a aventura. Os combates em si por vezes tornam-se um pouco repetitivos e existem secções onde lutamos 3 ou 4 vezes seguidas contra o mesmo tipo de inimigo onde a única diferença são os Sushi Sprites e o nível do inimigo.

Por entre os combates normais, vão então aparecendo alguns combates contra Boss ou com regras especiais que acabam por dar diversidade ao jogo. Muitas vezes é nestes combates que acabamos por ter que inventar formas de ultrapassar as dificuldades, seja através de grind ou misturar os Sushi Sprites que nos acompanham. Falando na progressão, quando terminamos um combate são atribuídos pontos de experiência ao nosso personagem e aos Sushi Sprites que nos acompanharam na batalha ou estavam designados como reserva. Conforme vão evoluindo vão aumentando o vosso ataque e defesa, enquanto os Sushi Sprites vão também aumentando a qualidade do Sushi que conseguem produzir.

Vão também ter que utilizar vários itens que vão ganhando nos combates para evoluir habilidades e não só, podendo também utilizar estes para modificar a dificuldade do jogo e a velocidade a que os tapetes andam durante os combates. Conforme vão avançando na história de Sushi Striker: The Way of Sushido também vão desbloquear a arena, eventualmente poderão fazer combates em multi-jogador e posteriormente online.

O aspecto resulta bastante bem e acaba por ser um jogo extremamente viciante e divertido. Na Nintendo Switch existem alguns problemas causados pela “precisão VS rapidez” quando utilizamos um comando, nomeadamente no modo TV, mas não é nada que estrague a experiência uma vez que unir os pratos de sushi é facilitado pelo facto de só podermos juntar pratos da mesma cor sem penalização por estarmos na direção de pratos de outras cores.

Sushi Striker: The Way of Sushido é uma surpresa bastante positiva e um jogo extremamente divertido para qualquer amante de puzzles. O conteúdo que alberga é mais do que suficiente para justificar o preço. O pior de tudo é que esta é mesmo uma aventura que nos abre o apetite, mesmo nos momentos mais tensos o que mais me apetecia era comer Sushi.

Positivo

  • Visual colorido e vibrante
  • Combates rápidos e frenéticos
  • Variações nos combates
  • Mecânicas de progressão mantêm-nos a jogar por várias horas
  • Personagens carismáticos
  • História ridícula ajuda a transformar Sushi Striker num jogo único
  • Banda sonora

Negativo

  • Aspecto do cenário dos mapas e das cinemáticas é demasiado simplista para acompanhar o resto do design
  • Modo história com secções repetitivas

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?

More Posts

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?