Análise – Stranger Things

Há coisas estranhas, como uma série inesperadamente boa que aparece do quase nada, se recuarmos 2 meses no tempo eu não fazia ideia do que era Stranger Things e quando me foi proposto analisar esta série vi um trailer e fiquei interessado. Afinal de contas uma história sobre mistérios/ficção científica que decorre na década de 80 com uma pitada de horror é algo a que não estou minimamente habituado, a coisa mais parecida com isto é Super 8 um filme que decorre no mesmo período e tratava de um tema semelhante. Assim foi com curiosidade que vi o primeiro episódio e ao contrário do que normalmente acontece não fiquei agarrado mas a minha curiosidade foi aguçada e quando acabei de ver o segundo episódio, posso dizer que me tornei um fã.

Por incrível que possa parecer a história começa com uma sessão de Dungeons & Dragons e os miúdos que estão a jogar tornam-se os protagonistas da série, numa história que vai misturar mistério, monstros e ficção de uma forma brilhante. O desenvolvimento da história centra-se então no desaparecimento de um membro deste grupo o que resulta numa demanda para o salvar, pois nenhum dos seus amigos acredita que este tenha fugido ou que esteja morto, pouco a pouco esta teoria de malucos vai tomando força e outras personagens nomeadamente adultos acabam por embarcar na mesma busca de formas diferentes.

A mãe da personagem desaparecida acaba por se tornar também num dos centros do desenvolvimento da história sendo ela a primeira adulta a ter contacto com “coisas estranhas”. Foi também por esta altura que me comecei a aperceber que esta série gosta de pregar sustos e de certa forma fá-lo recorrendo à nossa imaginação, pelo menos quando era mais novo não me faltava imaginação para monstros e é engraçado ver que as formas como eu imaginava esses monstros está aqui presente. Se por acaso se enquadram neste caso então deverão certamente gostar de Stranger Things.

stranger things analise pn 2

No entanto se cresceram durante os anos 80 ou 90 será também normal que sintam uma conexão com a série e com o que ela mostra, no fundo desde que gostem de conspirações, do sobrenatural, uma boa dose de aventura e da época dos anos 80 não há como não gostar de Stranger Things. É uma verdadeira aventura onde os miúdos são os heróis e o mistério assim como a narrativa é capaz de entreter adultos.

Stranger Things tem o seu próprio charme, desde um visual rigoroso da época assim como as situações que as diversas personagens enfrentam, desde ir a uma biblioteca para consultar jornais antigos até à guerra fria. Algo que faz parte desta série de horror é também o drama que já descrevi e vai evoluíndo em algo mais complexo, são 8 episódios em que a tensão vai aumentando e mesmo quando todos os elementos para o grande final estão reunidos ninguém está a salvo. Caso não tenha deixado bem claro, Stranger Things é absolutamente fantástico misturando todos os elementos na dose certa para entregar uma experiência avassaladora.

É uma série que se dirige tanto aos mais novos como aos mais crescidos e consegue ser apreciada pelas duas partes, tal como um bom filme de animação. Por exemplo, quando era criança e vi A Fuga das Galinhas nunca me tinha passado pela cabeça – até porque desconhecia – que o verdadeiro tema por de trás desse filme de animação eram os campos de concentração da 2ª Guerra Mundial. Aqui é exactamente a mesma coisa, os mais novos vão apreciar a aventura e desenvolver a imaginação enquanto que os mais velhos para além de uma boa dose de nostalgia, de uma forma ou de outra, conseguem por momentos viver a maior aventura com que podiam sonhar quando eram crianças.

stranger things analise pn 3

Ao longo dos 8 episódios de Stranger Things a história tem um início, meio e fim. Apesar de deixar uma pequena ponta solta a convidar a vinda de uma segunda temporada é uma série que entrega uma história bastante completa e não vão ficar desiludidos com o fim, algo que teima em acontecer em muitas séries que gostam de deixar a parte mais importante para o início da próxima temporada.

Stranger Things é o equivalente a um blockbuster de Verão com a diferença de primar pela excelente narrativa assim como pelos visuais cuidados e um impacto que perdura, é uma série bastante diferente do que está disponível actualmente e consegue não só entreter mas também entregar uma experiência que apela à aventura e à criança dentro de nós. Esta é sem dúvida uma história brilhante que merece ser experiência-da por todos. O meu maior problema com Stranger Things é ser composto por apenas 8 episódios e eu ficar a ansiar por mais, infelizmente o único remédio é esperar por uma possível segunda temporada o que pode resultar numa espera de 1 ano ou mais.

Positivo

  • Históriapn-recomendado-2016
  • Abordagem dos temas
  • Visual da época está no ponto certo
  • Excelente mistura de narrativas
  • Tão bom para os mais novos como para os adultos
  • Uma homenagem genial à ficção dos anos 80
  • Actores estão todos de parabéns, até os miúdos irritantes!

Negativo

  • O ocasional “erro” propositado para desencadear uma linha narrativa
  • Causa dos problemas podia ter sido explorada em maior detalhe

 

pn-excelente-2016-3

Alexandre Barbosa

Também conhecido como Tylarth, sou um grande fã de videojogos no geral e séries de TV.

More Posts

Alexandre Barbosa

Também conhecido como Tylarth, sou um grande fã de videojogos no geral e séries de TV.