Análise – Steel Strider

Desenvolvedor: Astro Port
Editora: Nyu Media
Género: Ação, Indie
Data de lançamento: 12 Nov, 2015 (PC)

Steel Strider é o sucessor de Gigantic Army, criado pela Astro Port, que presta homenagem aos jogos clássicos de run & gun como Super Contra. Controlamos um robô de combate que faz parte de uma organização secreta durante a segunda metade do século XX onde as viagens espaciais são uma realidade, e existe 4 planetas para visitar que estão divididos em vários níveis.

Vão passar a maior parte do tempo a disparar contra dezenas de inimigos com o máximo de 8 armas diferentes que são melhoradas ao longo do jogo, desde armas básicas como metralhadores e caçadeiras, até a armamento mais pesado como lança-mísseis e railguns. Também têm a possibilidade de usar uma Plasma Blade para atacar inimigos próximos. Apesar de raramente a usar, é sempre um ponto positivo para mim quando um jogo com mechs permite usar qualquer género de espada.

É possível jogar com teclado e rato, ou se preferirem, com comando. Os controlos são competentes no geral, com a excepção do jetpack que é pouco fiável em certas secções que envolvem plataformas. Quando a arma que estão a usar fica sem munições, muda automaticamente para a pistola que é bastante inútil e seria mais prático mudar para a arma seguinte mais poderosa. Também trocar de arma podia ser um pouco mais rápido, porque vão estar diversas vezes sob fogo inimigo constante e todos os frames que estão a perder para trocar de arma pode ser a diferença entre a vida e o morte.

steel-strider-analise-01-pn

Existe 4 níveis de dificuldade, desde fácil até ao dito insane. Eu joguei em normal e houve ocasiões onde morri diversas vezes, por isso podem contar com algum desafios. Para dificultar um pouco as coisas, o jogo não restabelece a vida e as munições entre níveis dum planeta. Isto só foi mais chato quando cheguei ao boss final pela primeira vez e estava quase sem munições para as armas mais poderosas. A solução foi ter de repetir os níveis todos daquela área para poupar alguma.

Visualmente, Steel Strider não vai fascinar ninguém e podia ser facilmente confundido por jogos grátis semelhantes disponíveis no site Newgrounds. No departamento sonora, algumas faixas são mais interessantes do que outras, mas fiquei mais chateado como algumas deixam uns segundos de silêncio antes de fazerem loop.

É possível terminar Steel Strider em menos de 1 hora, e mesmo estando a um preço reduzido, não vai oferecer muito tempo de jogo se não estiverem interessados em jogar numa dificuldade mais alta ou melhorar as pontuações para as leaderboards. Steel Strider não tenta reinventar o género, portanto se procuram apenas um simples shooter 2D para destruir uns quantos mechs, esta é uma opção viável.

Positivo

  • Desafiante q.b.
  • Vários bosses
  • Plasma Blade!

Negativo

  • Não introduz nada de novo dentro do género
  • Jetpack não é fiável
  • Não custava encher a vida entre cada nível

 

pn-bom-2016

Sérgio Batista

Membro do PróximoNível desde 2015. Tira fotos em demasia durante os eventos.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Share

You may also like...