Análise – Shenmue 1 & 2

Existem vários jogos que são vistos como clássicos imortais, séries praticamente intocáveis que não são afectadas pelo tempo ou pela idade. Depois existe Shenmue, bem capaz de ser uma das sagas mais adoradas e protegidas da indústria, a ponto de ter sido financiado um terceiro jogo pelos fãs.

Quando joguei Shenmue na Dreamcast há muitos anos atrás, fiquei completamente arrebatado com o mundo aberto e tudo o que era possível fazer. Os anos passaram e depois de tantos jogos, jogar Shenmue 1 & 2 na PS4 mostram que a nostalgia consegue mesmo fazer milagres.

Parece mentira, mas Shenmue 1 & 2 foram mesmo convertidos para uma era em HD e estão disponíveis tanto na PS4 como Xbox One. Ao contrário do que muitos podiam pensar, os dois jogos sofreram conversões quase directas, mudando muito pouco do que já exista.

Um dos primeiros pontos de relevo foi a passagem para alta definição, o que faz com que tudo pareça bem melhor do que era. A imagem não está tão esborratada como na Dreamcast e as texturas parecem melhores. É notório um tratamento adicional nas faces, mas além disso, o resto continua a parecer antiquado, seja pelos modelos das personagens, as texturas, iluminação, entre tantas outras coisas.

Embora ambos tenham sofrido o mesmo tratamento, Shenmue 2 consegue, tal como seria de esperar, ter uma melhor prestação visual. A jogabilidade é idêntica para ambos, mas existe agora a possibilidade de rodar a câmara para olhar em redor, o que é uma mais valia, especialmente tendo em conta que a jogabilidade ainda está muito presa aos movimentos pesados ao estilo “tanque”.

Apesar de ser um elemento de jogabilidade, Shenmue tenta sempre que as pistas a seguir sejam descobertas pelo jogador. A história só avança se conseguirem decifrar as pistas e interrogar as pessoas certas, o que leva a momentos de acção e combate. Este sistema faz mais sentido num jogo de puzzles e no contexto actual, é um sistema antiquado, havendo muitas outras opções igualmente desafiantes que não nos deixam confusos ou perdidos no mundo.

Em termos de tratamento visual, os menus estão todos eles adaptados à alta-definição, além de que os mais saudosistas podem escolher jogar em 4:3 em vez do actual 16:9. Tendo em conta que as cinemáticas de Shenmue estão todas em 4:3, até que acaba por fazer sentido.

Algo que também mostra a idade de Shenmue e até a sua coragem para a altura, são as vozes em inglês. Estamos a falar de algumas das vozes mais estranhas, repetitivas e talvez mais irritantes que podemos encontrar num videojogo. Para a altura, era certamente impressionante, nos dias que correm, serve mais para rir um pouco e pensar em toda a evolução da indústria.

Apesar de continuar a ser um jogo importante, jogar Shenmue agora, mesmo com a ajuda do tratamento HD, mostra que é um jogo altamente favorecido pelo facto de ter sido inovador na sua era. Muitos jogos já fizeram tudo o que faz bem melhor que ele e se tiver que o comparar a algo moderno, Yakuza é claramente a evolução natural, com muito mais qualidade.

Shenmue 1 & 2 é a passagem para a nova geração mais que necessária. Os fãs dos originais vão poder relembrar os bons velhos tempos e os mais novos vão poder descobrir os grandes clássicos, especialmente agora que Shenmue 3 está à porta. De qualquer forma, são jogos que não resistiram muito bem ao passar do tempo e que estão longe do brilhantismo que estava ligado à nostalgia de quem os jogou.

Positivo:

  • Os dois clássicos num só disco
  • Visual limpo
  • Segundo analógico
  • Podem escolher a língua em que querem jogar
  • Preço mais reduzido

Negativo:

  • Jogabilidade arcaica
  • Gráficos podiam ter levado um polimento extra
  • Vozes em inglês estridentes
  • Alguns bugs visuais
  • Não tão bom como na nossa memória

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.