Análise – Rokka: Braves of the Six Flower (Vol. 2)

  • Volume: 2
  • Géneros: Acção, Aventura, Drama, Fantasia, Mistério, Romance, Shounen
  • Publicadora JPN: Shueishua
  • Publicadora ING: Yen Press
  • Formato: Light Novel

Após aventurar-me pelo primeiro volume que havia servido como base para a adaptação anime chega a altura de explorar o que o resto da história de Rokka: Braves of the Six Flowers tem para oferecer.

O tema central não mudou, continuando a ser mais um mistério do que uma aventura num mundo de fantasia e acção, com as personagens a terem que concluir o seu objectivo enquanto lidam com o problema de haver um traidor entre o grupo que os quer matar e impedir a salvação do mundo.

 

SINOPSE

Enemies without…and an enemy within.

After escaping the impostor’s trap, the newly assembled Braves of the Six Flowers set off to fight the Evil God—only to find yet another person bearing the Crest!

With the clock ticking down on the time until their fearsome enemy awakens, the seven have no choice but to journey through the Howling Vilelands with a false hero among them. To make matters worse, a seemingly invincible fiend commander with connections to several Braves attacks the divided group.

They must work together to have even a hope of defeating such an adversary…but how can they, when anyone could be the traitor?

 

Desta vez o autor decide apresentar logo a início quem o novo traidor é, ao invés de nos fazer ponderar durante o percurso deste volume, sendo que a história passa de “quem é o traidor” a “qual o motivo”, algo que é explorado juntamente com o passado da personagem em questão. É diferente da introdução feita aos leitores, mas é uma mudança bem recebida pois apresenta uma situação diferente, evitando o caso de repetição.

Ao contrário do volume anterior, onde as personagens estavam presas no mesmo sítio a tentar descobrir o que estava a acontecer, neste já existe um pouco mais de liberdade para explorarem o que as rodeia enquanto a história vai-se desenrolando. A acção está mais presente, possuindo mais momento quentes em comparação à guerra fria que tem vindo a acontecer na maioria dos encontros, sendo que desta vez temos mais perspectivas para além da do protagonista desta história.

Neste segundo volume o autor também explora o lado inimigo, apresentando um dos principais antagonistas que acaba por ter uma presença importante para os eventos que estão a decorrer desta vez. O primeiro volume deu a entender que o mundo de Rokka tem muito por onde pegar e explorar, principalmente sobre pessoas e locais que são mencionadas de vez em quando, e desta vez acabamos por ficar a conhecer um pouco não só sobre o mundo onde os nossos heróis vivem mas também sobre a maneira em que o lado do “Evil God” que ameaça a humanidade actua.

Se este volume provou algo é que a história tem mais do que um lado para nos contar, uma vez que as personagens tem muito em jogo e com vários grupos a tentar impedir o seu progresso. Isto acaba por dar um novo ar à história já que acaba por haver menos momentos mortos onde as personagens moem a cabeça a tentar descobrir quem é o traidor, oferecendo assim situações onde é possível ver os planos que estão a decorrer e o que anda na cabeça de outras entidades.

Ainda é complicado dizer se em termos de mistério Rokka: Braves of the Six Flowers apresenta-nos um trabalho com muito por onde se pegar ou se necessita de limar umas quantas arestas. Algo que continua sobressair-se é a vasta quantidade de informação que este mundo aparenta possuir, sendo sempre interessante de cada vez que o autor decide contar um pouco mais sobre a vida para lá da situação na qual as nossas personagens se encontram.

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Share

You may also like...