Análise – Rocket League [Nintendo Switch]

É curioso como em vários anos de existência, Rocket League nunca foi um jogo que me chamasse a atenção. Não só a premissa parecia forçada (futebol com carros), mas também porque sabia que ia ser um mau jogador mesmo com muito treino.

Para minha surpresa, depois de tantos vídeos e Livestreams de Rocket League, consegui finalmente perceber o fascínio em redor deste jogo, mesmo que continuasse a ser um verdadeiro zero à esquerda na maioria das partidas. Com a chegada de Rocket League à Nintendo Switch, acreditei que seria a altura ideal para finalmente dar uma hipótese ao jogo. A escolha para o jogar nesta plataforma não podia ter sido mais correcta.

Se havia receio de que a versão Nintendo Switch de Rocket League pudesse correr mal, todas as dúvidas foram esclarecidas mal fiz a primeira partida. No geral, Rocket League só sofreu um pequeno downgrade visual, o que resulta em algumas inconsistências visuais de texturas ou nas orlas dos objectos.

Mas o que é inconsistência visual num jogo tão rápido e caótico como Rocket League? Depois da estranheza inicial para quem está habituado a outras plataformas, poder jogar o jogo completo em qualquer lado, mesmo partilhando com amigos, é mais do que óptimo. Seja ligado à TV ou em modo portátil, isto é Rocket League sem grandes sacrifícios.

A jogabilidade é bastante sólida e qualquer um dos modelos de controlo funciona bem, mesmo os Joy-Con conseguem um resultado positivo quando separados entre duas pessoas. O ecrã fica com os menus demasiado pequenos, mas o jogo continua a correr bem em ecrã dividido em qualquer modo. A experiência ideal continua a ser, claro está, quando jogado com o ecrã inteiro e com o Pro Controller.

A versão Nintendo Switch tem todo o conteúdo e modos a que estão habituados, mas engloba alguns exclusivos, como carros e chapéus inspirados em Super Mario e Metroid. São extras engraçados que dão um incentivo para experimentar novas opções de personalização para quem nunca jogou o jogo.

Na transferência para a Nintendo Switch não foi cortado nenhum do conteúdo principal, por isso até o modo Hoops e todas as arenas estão cá. A banda sonora continua a ser bastante boa e uma companhia ideal para acompanhar a procura por partidas online, as quais são rápidas a encontrar e funcionam muito bem.

Em tempos, não era o maior fã de Rocket League, mas depois da Nintendo Switch, transformou-se num dos meus jogos multijogador favoritos. O simples facto de estar fora de casa e poder jogar com um amigo 2 vs 2 online em ecrã dividido na consola e sairmos vencedores de grandes partidas, é algo realmente impressionante.

Se nunca jogaram Rocket League ou a hipótese de o jogar em qualquer lado é algo que vos atrai, então a Nintendo Switch é das melhores plataformas para o fazer e um ponto de partida ideal para todos os jogadores.

Positivo:

  • Portabilidade
  • Poucos sacrifícios
  • Muito para fazer e desbloquear
  • Online com óptimo desempenho

Negativo:

  • Downgrade visual
  • Menus pequenos em ecrã dividido

 

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.