Análise – Resident Evil 6 PC

“Uma análise a Resident Evil 6 para PC quase dois meses depois de ter sido lançado?” Isto é o que muitos de vocês devem ter pensado mal viram este artigo online. É verdade, esta é a análise à versão PC daquele que foi para muitos um dos piores jogos do ano passado.

Porque tão tarde? Resident Evil 6 chegou até nós por Steam e como o meu PC não era o melhor para correr o jogo, tive de esperar por uma actualização para o mesmo e mesmo assim, tive de responder a outro desafio…criar conta de Steam (ver episódio 8 do A Pau com os Ursos a estrear em breve para mais informações).

Se durante todos estes meses ainda não jogaram Resident Evil 6 quer nas consolas, quer no PC, então não contem com algo realmente diferente. Este é praticamente o jogo que podem jogar nas consolas, embora com uma ou outra correcção e uma ou outra adicção.

Caso não conheçam a história de Resident Evil 6, basicamente esta mostra como os vírus da série encontraram forma de se espalhar pelo mundo (com a ajuda de alguém claro) e isto significa que Leon, Chris e companhia vão ter de combater a mutação do C-Virus em várias regiões (que estranhamente cria vários tipos diferentes de zombies de área para área).

Tal como a versão actualizada das consolas, Resident Evil 6 em PC permite jogar qualquer uma das quatro campanhas de forma livre e escolher os capítulos que pretendem fazer. Cada uma das quatro personagens tem um objectivo próprio e algumas localizações diferentes para visitar o que cria uma aventura bem mais longa do que os anteriores.

Como sabem, Resident Evil tem vindo a fugir de certa forma às suas raízes, tendo migrado cada vez mais para um jogo de acção com elementos de terror. O sexto jogo leva esta vertente para uma dose ainda mais forte de acção, com muito mais explosões, cinemáticas e acrobacias dignas de Hollywood. Felizmente, a versão PC consegue emular de forma precisa a jogabilidade e quer joguem com teclado ou gamepad/comando, vão ter direito à jogabilidade rápida e frenética que faz parte da série desde Resident Evil 4.

Algo que me impressionou na versão PC de Resident Evil 6, foi o seu visual polido e atractivo, mesmo que no geral, alguns dos detalhes e elementos dos cenários continuem a conter algumas texturas realmente fracas, a versão PC está realmente uns furos acima da das consolas. A fluidez também se mostrou bastante sólida e tirando alguns soluços que podem estar ligados aos processos do PC, as críticas que posso fazer ao visual não são muitas.

A componente sonora por seu lado é realmente boa e a Capcom puxou dos galões em todos os sentidos para conseguir uma banda sonora realmente boa e um trabalho de voz bastante competente que envergonha os “Jill Sandwichs” do passado.

Como se quatro campanhas não fosse conteúdo suficiente, podem jogar Resident Evil em modo Co-op com amigos ou desconhecidos e ainda participar em diversas partidas online, entre as quais destaco o Mercenaries: No Mercy, uma expansão para o modo Mercenaries clássico que adiciona novos inimigos. A versão PC foi ainda alvo de alguns extras relacionados com o Steam, por isso podem até contar com uma parceria com a Valve com alguns personagens de Left 4 Dead 2.

Como muitos devem saber, não sou grande fã da série Resident Evil, mas foi a partir do Resident Evil 4 que o meu interesse despertou. Tal como aconteceu com Final Fantasy que seguiu uma direcção que não me agrada completamente, eu faço da parte da nova geração de fãs de Resident Evil que chegaram cá pela acção e jogabilidade mais rápida oferecida pelos novos jogos e para mim, Resident Evil 6 é uma evolução bastante positiva que continua o trajecto que mais gosto da saga.

Embora ainda mantenha muitos dos problemas que estavam presentes na versão das consolas, como é o caso de alguns segmentos de história desenquadrados e uma jogabilidade pesada que por vezes atrapalha em vez de criar pressão, não restam dúvidas de que Resident Evil 6 é uma mega produção que deve ser jogada pelos fãs de jogos de acção que não tenham problemas com algumas cenas de violência mais pesadas ou ainda não estejam fartos de Zombies.

Se não jogaram a versão de consola e tem um PC com alguma estaleca, então esta é bem capaz de ser a melhor versão de Resident Evil 6 que podem jogar.

Positivo:

  • Lançado com alguns erros das consolas corrigidos
  • Funciona bem no teclado e rato
  • Gráficos melhorados e boa fluídez
  • Campanhas longas que podem jogar de forma cooperativa

Negativo:

  • Ausência dos DLC lançados nas consolas
  • Câmara continua a não ajudar a jogabilidade
  • Inspecionar os cenários com calma mostra muitos elementos pouco trabalhados
  • Quick-time Events demasiado frequentes e intrusivos

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...