Análise – Ralph Vs Internet

Apesar dos filmes de super heróis terem sido maioritariamente maus no passado, hoje em dia, é quase sempre um filme de qualidade, especialmente se tivermos em conta os estúdios da Marvel. Enquanto isso, os filmes de videojogos nem sempre são os mais bem sucedidos, abrindo espaço para filmes SOBRE videojogos, para fazer o seu trabalho.

Se bem se lembram Wreck-it Ralph é um dos melhores jogos inspirado em videojogos feito até hoje, por isso, a equipa da Disney pensou se seria boa ideia fazer da sequela o melhor filme inspirado na Internet. Se a ideia tinha muito por onde se inspirar, o resultado final não é tão forte como o primeiro filme.

Ralph Vs Internet volta a trazer Ralph e os amigos para o grande ecrã, embora desta vez o universo seja vastamente superior e exista muito mais coisas concentradas no ecrã ao mesmo tempo. Infelizmente, o conceito do salão de arcade é deixado para trás bastante cedo, levando Ralph e Vanellope para o mundo da Internet.

Como seria de esperar, este filme acaba por se transformar muito depressa numa sátira de grandes proporções, satirizando memes, piadas, conceitos e até a própria Disney. Curiosamente, estes são alguns dos melhores momentos e só tenho pena que parte deles tenham sido já gastos em trailers. Lembram-se das princesas? Sim, elas estão de volta e não existe muito mais para ver delas do que já foi visto antes. Por isso volto a lembrar que ver trailers é sempre uma má ideia.

A selecção de personagens também não parece tão forte como no primeiro, pois elas passam sempre algo ao lado e nunca parece que estão lá para ficar. O contacto com Ralph ou a Vanellope parece tão rápido e efémero como o próprio conteúdo da internet que é quase sempre feito para ser consumido rapidamente e desacartado logo a seguir. É pena que assim seja, pois existe uma história de amizade e boa vontade bastante engraçada por detrás de tudo.

Claro que é complicado não achar piada a Ralph Vs Internet. Existem uma série de momentos bem escritos e outros que funcionam muito bem devido ao poder da animação a que os estúdios da Disney já chegaram. A quantidade de estilos e modelos de personagens é bastante boa e existem uma grande quantidade de cenários e mundos diferentes. A representação da internet está muito bem conseguida e surgem sites conhecidos e referências um pouco por todo o lado. Se algo é minimamente conhecido, estará representado aqui de alguma forma, seja pelo bem ou para o mal.

Tendo em conta o público alvo, Ralph Vs Internet consegue, mesmo assim, a magia dos filmes animados da Disney, havendo muito para entreter os mais velhos e os mais novos. Aliás, maior parte do público mais jovem vai ficar um pouco “à nora” em algumas situações, onde só os mais velhos vão encontrar a referência. A espaços, o filme chega até a lembrar Ready Player One, da forma como tenta ligar tanta coisa num só universo e em tão pouco tempo.

No que toca ao dar vida às personagens, as vozes originais estão muito boas e o trabalho dos actores principais é de grande qualidade. Entre todos, tenho de destacar em especial Sarah Silverman que faz uma voz tão única e certa para Vanellope que é complicado de a imaginar com outra voz se não aquela. A surpresa foi Gal Gadot no papel de Shank, que só percebi quem era quando os créditos começaram a passar (é tão bom evitar trailers de filmes). Felizmente vimos tudo em inglês, pois os trailers em português não mostram vozes lá muito boas.

Enquanto via o filme, percebi ainda na sala de cinema aquele que estava a ser o maior problema de Ralph Vs Internet. Apesar do motivo forte para as personagens darem o salto em frente, parece que o filme está sempre a criar distracções pelo caminho, ao ponto de se parecer tal como a internet. Existe tanto a acontecer ao mesmo tempo, que muitas vezes acabamos por sentir que as personagens e até nós, estamos a desviar do objectivo para dar atenção a outra coisa qualquer.

Mesmo sendo divertido e atrevido, Ralph Vs Internet não foi para mim tão divertido e empolgante como o primeiro filme. Talvez o ambiente mais pequeno e menos megalómeno do salão de jogos fosse mais convidativo e realmente ligado às personagens. O segundo filme vale a pena, mas acaba por fugir de forma desgarrada do tema original.

Positivo:

  • Referências pertinentes
  • Boas sátiras
  • Grande trabalho vocal
  • Desenho variado de personagens e cenários

Negativo:

  • Fio narrativo com desvios
  • Novas personagens passam “a correr”
  • Foge demasiado ao tema original

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...