Análise – Psycho-Pass

Informação Global:

  • Episódios: 22
  • Ano: 2012-2013
  • Produtores: Production I.G, FUNimation Entertainment, Fuji TV, Nitroplus, Sony Music Entertainment
  • Géneros: Acção, Policial, Ficção Cientifica
  • Idades: +17
  • Linguagem: Japonesa

Tendo criado Fate/Zero e escrito o argumento de Mahou Shoujo Madoka★Magica, Orobuchi Gen apresenta-nos o seu novo projecto como argumentista que não deixou de criar alguma expectativa. Psycho-Pass é um Anime de 22 episódios desenvolvido pelos estúdios da Production I.G que nos relata um futuro próximo onde é possível avaliar e qualificar instantaneamente o estado mental e a personalidade de cada ser humano. Avaliação individual de emoções, desejos, influências e até tendência criminosa, a todo este processamento de informação gerido pelo Sibyl System é dado o nome de “Psycho-Pass“, onde quem ultrapassa os seus limites de sanidade é considerado perigoso e alvo a abater. A história centra-se num grupo de detectives de intervenção, o Public Safety Bureau, do qual se destaca a nova recruta Tsunemori Akane, onde a sua tarefa é lidar com o crime num mundo apenas existentente no Japão.

Quanto à história do Anime, esta começa um pouco lenta ao inicio mas depois ganha o fôlego e manteve uma sequência lógica de eventos mas por vezes previsíveis em algumas cenas. Vindo de um escritor de alto nível, Psycho-Pass está muito bem planeado e foca-se maioritariamente nos limites do ser humano e na sua moralidade. Embora o final do Anime seja deixado à interpretação de cada espectador, é engraçada a forma como começamos a pensar se o Sibyl System faz sentido. Admito que estava a espera de algo mais extraordinário e que talvez a minha compreensão não tenha sido a mais saudável e positiva para Psycho-Pass, mas a minha experiência fez-me crer naquilo que senti.

Sendo do género policial e cientifico, a história não é facilmente perceptível, daí ser necessário atenção ao diálogo e aos pormenores. Como seria de esperar, dentro do género de ficção cientifica, Psycho-Pass não foge à regra e podemos contar com cenas sangrentas, violentas e perturbadoras com um bom acompanhamento de literatura e filosofia à mistura. Orobuchi Gen é conhecido por ter uma escrita obscura baseada em twists na história que literalmente brincam com as nossas emoções. É também interessante e original a forma como são citadas várias frases de livros de autores reconhecidos no mundo real como forma de justificação aos actos criminosos.

Uma melhor exploração das personagens secundárias teria sido uma mais valia visto que existem algmas personagens que não fazem grande diferença no Anime. Tirando este factor, Psycho-Pass tem uma das evoluções de protagonista mais brutais de sempre através de Tsunemori Akane, uma rapariga de 20 anos que mostra ser uma ingénua idealista. Devido às suas elevadas notas e Psycho-Pass calmo, Akane decide entrar para o Public Safety Bureau porque acredita ser capaz de fazer algo que mais ninguém consegue. Mesmo com pequena importância no inicio do Anime, Akane leva um tratamento de crescimento que mais tarde volta em cena capaz de ofuscar e impressionar a maior parte dos espectadores.

Depois temos Kougami Shinya, um rapaz de 28 anos com uma mentalidade criminosa bastante elevada. Mesmo com um Psycho-Pass ao rubro, Kougami é sem dúvida um dos melhores detectives da zona daí ter-lhe sido atribuída uma segunda oportunidade como Enforcer do Public Safety Bureau. Tendo uma presença mais clássica e old-school, é complicado não admirar e gostar dele. Por outro lado temos o carismático, intelectual e apaixonado pela crueldade, Shougo Makishima com uma personalidade única e boas razões para ser o vilão de Psycho-Pass. Tendo um aspecto físico visualmente atractivo, é fácil criar um laço de empatia com a personagem, mas relembro que nem tudo é o que parece.

A nível técnico, o desenho e a animação de Psycho-Pass estão dentro da expectativa. Algumas falhas no desenho e nos ângulos estão presentes no episódio 18 mas a boa qualidade regressa para dar continuidade ao Anime. A arte relembra Katekyo Hitman Reborn! visto que é feito pela mesma pessoa, não é de admirar tal presença mas a nostalgia criada até que é bem recebida. Dentro do género, muitas cenas escuras e difíceis de perceber estão presentes na maior parte dos episódios. A nível de animação, destaco as cores frias e florescentes utilizadas nos materiais tecnológicos que conseguiram recriar um ambiente futurista bastante real.

Quanto à música, toda ela é uma criação brilhante que encaixa perfeitamente com o tema visual e emocional de Psycho-Pass. Todas as letras dos openings e endings parecem ser feitas de propósito para o Anime e principalmente direccionadas a personagens especificas. Mantendo o ambiente futurista e obscuro, o primeiro opening “abnormalize” de Ling Tosite Sigure parece falar de Kougami enquanto que o ending “Namae no nai Kaibutsu” de EGOIST é para termos o Shougo em mente. Quando à música de fundo, a utilização de piano, violino e sintetizador ajudam a acentuar as emoções e a dar mais suspense às cenas de forma a criar um ambiente realista.

Resumidamente, Psycho-Pass é um Anime policial com muita acção, ficção cientifica e suspense, que comparado com grandes nomes deste género não fica nada atrás. Mesmo com algumas falhas nos pontos já referidos anteriormente, tem uma história estupenda, bem planeada e acima de tudo bem escrita, acompanhada de cenas mais violentas com citações de literatura e filosofia de autores da nossa época. Infelizmente não me agradou o facto do desenlace ficar para a compreensão de cada um visto que tirei uma conclusão mais negativa do Anime. Por um lado, senti falta de mais informação sobre as personagens secundárias, visto que estão no Anime e gostaria de valorizar essa presença mas, por outro lado, Psycho-Pass tem uma das melhores evoluções de protagonista de sempre o que acabou por compensar.

A animação e o desenho estão dentro do esperado, sendo apelativos principalmente nas cores que dão um ambiente mais futurista a Psycho-Pass. A música encaixa na perfeição e achei interessante o facto de conseguirmos relacionar as letras das músicas com as personagens e o Anime em si. Embora tivesse achado algumas resoluções demasiado previsíveis, a história não é facilmente perceptível. Não recomendo Psycho-Pass a quem queira ver algo sem ter de pensar, é preciso estar com atenção para perceber e apanhar alguns pormenores importantes à compreensão final da história. Tendo um tema mais obscuro e sério, recomendo Psycho-Pass a quem seja fã deste tipo de Anime e não só! Lá no fundo quem é que ainda não viu um episódio de CSI na televisão e não gostou minimamente? Ora bem, Psycho-Pass é isso mas melhor.

Positivo:

  • História bem escrita
  • Tema fiel ao género
  • Cenas sangrentas, violentas e perturbadoras
  • História não muito perceptível
  • Utilização de literatura e filosofia
  • Evolução brutal da protagonista
  • Animação e desenho familiar dentro da expectativa
  • Ambiente futurista real
  • Música encaixada

Negativo:

  • Previsível
  • Final deixado à interpretação de cada um
  • Pouca exploração das personagens secundárias
  • Algumas falhas na animação e desenho no episódio 18

Share

You may also like...