Análise – Pokémon: Detective Pikachu

Depois de tantos filmes maus baseados em videojogos, será que ainda existe hipótese de termos direito a filmes bons que respeitem o conteúdo original? Essa é uma questão que vai continuar a surgir e por muitas boas tentativas que sejam realizadas, parece que há sempre alguém empenhado em fazer com que a coisa corra mal.

Pouco tempo depois da Marvel fechar com chave de ouro toda uma fase de filmes da MCU, não é nada fácil para Pokémon: Detective Pikachu vir roubar alguma da energia do momento. Especialmente tendo em conta o seu visual mais realista que não convenceu toda a gente. Dito isto, fui ao cinema ver o filme logo no dia de estreia e posso dizer que embora não seja um filme de topo, Pokémon Detective Pikachu é um filme bastante bom.

Baseado no mesmo conceito do jogo com o mesmo nome, Pokémon Detective Pikachu conta a história de Tim, um rapaz que descobre que o seu pai morreu num acidente de automóvel, então terá de ir à cidade para tratar de alguns assuntos típicos destas situações. Depois de meia dúzia de acontecimentos, Tim e o Pikachu do pai encontram-se e num processo de aprendizagem vão começar a colaborar um com o outro para descobrir o verdadeiro paradeiro do pai. É uma história básica de descoberta e aceitação, onde Tim aprende o valor de ter um companheiro de viagem.

Apesar de Pokémon estar normalmente direccionado para crianças, Detective Pikachu consegue ser ao mesmo tempo uma história capaz de aguçar a atenção dos mais velhos. Não só a história consegue ter um teor mais adulto, como algumas das suas referências e diálogos são feitos a pensar no público mais velho. Imaginem filmes como os da Pixar ou da Dreamworks, embora um pouco mais contidos na maioria dos momentos. Aqui há alguma liberdade para brincar e até ser mais agressivo, embora sem nunca se tornar altamente físico.

O filme gira em redor de algumas personagens mais importantes, mas tem a tarefa inglória de ter pouco tempo para introduzir os verdadeiros vilões. É certo que a história tem o seu tempo para progredir, mas não há espaço suficiente para apresentar as verdadeiras motivações de algumas das personagens, o que teria mais impacto no momento crucial. Tirando isso, as personagens e Pokémon principais tem os seus momentos e o actor que faz o papel de Tim está até muito bem. O Ryan Reynolds faz um óptimo papel como Pikachu, embora perceba que muitos vão estar a ouvir o Deadpool nos primeiros momentos do filme.

Um dos grandes problemas desta adaptação é a forma como ia apresentar o mundo de Pokémon num formato ultra realista. O primeiro trailer deixou-me receoso (foi o único que vi, por evitar ver trailers), mas o resultado final é bastante bom e credível. É certo que podiam ter usado um visual mais próximo do original que não ia haver qualquer problema, mas este ultra-realismo não fica nada mal e até apresenta os Pokémon num novo plano bastante apelativo. A partir do momento em que a coisa vai ao sítio e deixa de se estranhar, acaba por se tornar em algo natural.

Como seria de esperar, o filme está recheado de referências à série e até a alguns elementos da nossa cultura pop actual. Tenho pena que não houvesse pelo menos mais meia hora para colmatar algumas das falhas da narrativa e mais espaço para mostrar mais alguns tipos de Pokémon.

A melhor parte do filme de Pokémon Detective Pikachu é o facto de respeitar o material do universo Pokémon e de não seguir a mania recorrente dos estúdios que procuram criar as suas próprias versões deturpadas de universos já estabelecidos. Se a franquia é respeitada e conhecida, talvez o seu conteúdo de origem tenha qualidade. Certo? A Detective Pikachu bastou seguir um tema e história passível de adaptar ao cinema para que a coisa corresse bem. O facto é que correu.

Tal como referi inicialmente, Pokémon Detective Pikachu não é nenhuma obra de arte, nem muito menos um filme que toda a gente tenha de ir ver obrigatoriamente. Este entra facilmente para o panteão de filmes de videojogos que melhor aproveitam o material original, pois sabe respeitar as suas origens, criando algo distinto, mas identificável. O que interessa é que é um bom filme e quem o for ver não se vai sentir enganado, especialmente os fãs de Pokémon, que são quem realmente interessa no fim de contas.

Podem ler a análise do jogo de Detective Pikachu aqui:
Análise – Pokémon Detective Pikachu

Positivo

  • Respeito pelo universo
  • Visual dos Pokémon
  • História para todas as idades
  • Ryan Reynolds faz um bom Pikachu

Negativo

  • Pouco tempo para os vilões
  • Não faz muito de memorável
  • Personagens secundárias sem muito sumo

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...