Análise – Persona 4 The Animation

Informação Global:
  • Episódios: 25
  • Ano: 2011-2012
  • Produtores: Aniplex, AIC A.S.T.A., Sentai Filmworks, ASCII Media Works
  • Géneros: Aventura, Mistério, Acção, Vida Escolar, Ficção Cientifica, Sobrenatural
  • Idades: +13
  • Linguagem: Japonesa

Persona 4, sendo um dos melhores RPG da actualidade, tanto no Japão como no resto do mundo, levou a que a Aniplex conseguisse recriar e captar ao pormenor a essência principal do jogo. Como resultado, os que tiveram hipótese de o jogar terão mais facilidade em absorver e apreciar a versão animada mas, no entanto, Persona 4 The Animation tem tudo o que precisa para angariar novos fãs graças ao excelente aproveitamento do material que tenta emular.

Persona 4 The Animation começa numa aldeia rural chamada Inaba. Mortes misteriosas ocorridas durante nevoeiros ou depois de fortes chuvas e tempestades, dão origem a um rumor sobre um canal de televisão que apenas funciona á meia-noite chamado Mayonaka TV, no qual dizem ser possível ver a nossa “outra metade” enquanto olhamos para o ecrã.

Depois de ouvirem sobre um homicídio recente e ainda por resolver, Yuu (o nosso protagonista), Chie e Yosuke, discutem sobre como ambos conseguiram ver o misterioso canal, sendo testemunhas da pessoa que iria morrer no dia seguinte. Mais tarde, o protagonista acaba por descobrir que durante o canal da meia-noite consegue transcender o seu corpo para a televisão, entrando num outro mundo infestado de criaturas conhecidas por Shadows.

A pouco e pouco, as personagens percebem que existe uma conecção entre o mundo da televisão e os assassinatos, o que os leva numa série de aventuras e mistério para descobrir o responsável pelos homicídios.

Ao início, a história não é facilmente perceptível e o desenvolvimento dos acontecimentos demora tarda em chegar. Como resultado, existem episódios que parecem não ser necessários, sendo mais individuais e aventureiros, mas lá no fundo, acabam por ser cruciais para o espectador perceber como funcionam os “social links” e o quão importantes são para a série, fazendo com que a empatia e amizade de Yuu cresça perante os outros. É do início ao fim uma caixinha de surpresas onde o mistério está constantemente presente de forma a aguçar a curiosidade e o desejo por mais. O Anime parece tentar retratar tanto a parte obscura como a parte mais alegre, cómica e até mesmo os inuendos sexuais do jogo.

A presença do incerto e do desconhecido em cada personagem e até mesmo em grupo é bem sentida, ora tudo está tranquilo e a decorrer como planeado ora surge um obstáculo ligado a um destes. Sempre confrontados com as suas fraquezas e segredos, o enredo é baseado nas atitudes espontâneas e como estas afectam as pessoas e o mundo que os rodeia. Cada passo é dado com consciência e cada resolução é importante para o desenvolvimento da história.

Quanto às personagens, sente-se uma transição positiva do jogo para a animação. Narukami Yuu, antes uma personagem silenciosa, é agora um protagonista com voz e personalidade, que na animação tornou alguns social links mais satisfatórios e outros mais apressados mas, é uma personagem em constante evolução. O resto das personagens é variado, cada um com o seu estilo de vida e personalidade diferentes, levando o espectador a escolher os seus favoritos. A maior parte começa por ser meros estudantes do ensino superior mas, mais tarde, e com amizade directa de Yuu, vão evoluindo e mostrando tanto o seu passado como os dilemas que os perseguem.

Sobre a animação em si, esta é bastante fiel ao desenho geral presente no jogo e na artwork original, um factor que vai agradar aos fãs iniciais da saga. Neste ponto não houve qualquer motivo de desilusão, o que acaba por ser um estilo de desenho bem recebido, mesmo perante os restantes espectadores. Com cores e pormenores únicos diferentes do típico Anime quotidiano habitual, na minha opinião, a animação, é capaz de ser o factor mais importante e destacável de toda a serie de Persona 4 The Animation.

Sonoramente, podemos contar com o mesmo estilo musical do jogo, composto por Shoji Meguro, que criou grande parte das bandas sonoras associadas à série. Muita da música foi reciclada do jogo, e embora a abertura e o encerramento sejam diferentes, continuam a ser soberbos principalmente nas cenas de batalha. Podemos contar com várias vozes conhecidas e já famosas no mundo da interpretação, tais como: Kuma/Yamaguchi Kappei (Usopp de One Piece, Inuyasha de InuYasha e L de Death Note), Yosuke/Morikubo Showtaro (Shikamaru de Naruto, Zangetsu de Bleach e Kadaj de Final Fantasy VII: Advent Children), Rise/Kugimiya Rie (Al de Fullmetal Alchemist, Happy de Fairy Tail e Taiga de Toradora) e Naoto/Paku Romi (Ed de Fullmetal Achemist, Hitsugaya de Bleach e Temari de Naruto).

Mesmo não tendo jogado Persona 4 quando foi lançado na Playstation 2, considero a animação satisfatória e sobretudo fiel, embora não atinja o estatuto de um clássico imperdível. O facto de tentar agradar aos fãs do jogo assim como cativar quem procura ver um bom anime, mostra que foi um desafio bem concebido. É verdade que a história demora algum tempo a arrancar, só que este é um mal necessário que leva à melhor compreensão do mundo de Persona que se mostra bem diferente dentro do género. Admito que, embora com várias ajudas e pormenores presentes no Anime, só a 3 ou 4 episódios do desenlace final é que comecei a perceber do que se tratava e o porquê. É de esperar que alguns espectadores novos não apreciem Persona 4 The Animation e talvez dêem uma nota inferior comparada com aquilo que muitos acham merecer na realidade. Se querem ver um Anime fora de vulgar e que recrie bem um videojogo então Persona 4 The Animation é a escolha indicada.

Positivo:

  • Animação única e original
  • Fiel ao jogo
  • Boa exploração das personagens
  • Temas musicais inéditos e viciantes

Negativo:

  • Arranque da história
  • Final apressado
  • Cenas de combate repetitivas

Share

You may also like...