Análise – Okami HD

 

Okami é um dos mais famosos casos de um jogo relíquia da era da PS2. Destinado a grandeza, mas afectado por alguns problemas internos e a eminência do encerramento do estúdio que o criou, fizeram dele um caso (quase) único de um jogo que muito certamente iria ficar preso a uma geração para sempre.

Por estranho que pareça, a Capcom resolveu continuar a lançar novas versões de Okami (além de uma sequela com o nome Okamiden para a Nintendo DS), para quase todas as gerações que se seguiram. Isto levou até ao remaster em HD que o jogo tanto merecia. Praticamente uma década depois, Okami HD chegou ao PCPS4 e Xbox One.

Se jogaram alguma das versões anteriores, já sabem o que vos espera. Okami é um jogo de acção, plataformas e RPG que vai buscar muita inspiração a The Legend of Zelda, entre outros colossos do género. Embora aqui joguem com uma deusa loba que precisa de voltar a dar vida ao Japão antigo.

Okami é fortemente baseado no folclore japonês, por isso existe todo um trabalho bem feito em redor do seu visual cell-shading que faz lembrar desenhos orientais, assim como inúmeros monstros e referências a divindades da era. É uma luta do bem contra o mal, mas vista e jogada no papel das entidades divinas ligadas à natureza.

A jogabilidade de Okami está igual. Existe um mundo vasto para explorar com muitos NPC para encontrar e missões para realizar. Algumas secções exigem que dominem algumas plataformas e os inimigos são combatidos em arenas que se abrem para o efeito. De qualquer forma, tudo isto acontece em redor do pincel celestial, uma ferramenta mística que podem usar para pintar o ecrã, o que cria vários efeitos. Não só pode ser um corte de uma espada, como uma bomba, ou desenhar um sol pode criar luz e mudar o ciclo do dia. É um elemento de jogabilidade único e bastante impressionante.

O mundo de jogo pode ser alterado em vários momentos com a utilização do pincel celestial e alguns dos puzzles mais divertidos envolvem esta ferramenta, por isso dá vontade de a usar em todo o lado para ver quais são os resultados de cada teste.

Com a chegada à PS4 e Xbox One, Okami HD ficou ainda mais sólido e bonito. A resolução e fluidez estão óptimas e Okami não parece envelhecer devido ao seu estilo gráfico e visual únicos. Até a banda sonora continua a ser tão boa como sempre com os seus timbres orientais místicos.

Okami ainda dura umas boas horas a terminar e é um jogo cheio de coisas para coleccionar, não fosse Zelda uma das inspirações. Pena não haver nada de realmente novo ou extras para justificar a transição para esta geração, além da maior resolução.

De qualquer forma, o maior problema de Okami HD passa apenas por ser um jogo que não precisam de jogar novamente se já o jogaram anteriormente. De qualquer forma, se nunca o fizeram ou jogaram apenas a versão PS2, vale a pena reviver estes momentos com Amaterasu outra vez. Okami é um jogo de culto e um dos melhores dentro do seu género. Pode ser que agora já esteja a justificar a sua merecida e verdadeira sequela.

Positivo:

  • Visual impressionante
  • Melhor resolução
  • Jogabilidade bastante sólida
  • Muito para fazer
  • Banda sonora de excelência

Negativo:

  • Preso nos 30fps
  • Início longo
  • Nenhum extra

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.