Análise – Marvel’s Spider-Man: Silver Lining

A terceira e última parte de The City that Never Sleeps já chegou à PS4. Cada um dos episódios focou-se num aspecto diferente mas a conclusão deixa a desejar no que diz respeito à história principal ganhando terreno na quantidade de actividades.

Para não estragar a história a ninguém, vamos apenas dizer que se o 1º episódio não existisse não faria diferença praticamente nenhuma. Silver Lining é o epílogo do segundo episódio e apenas isso. Meia dúzia de missões principais que se desenrolam rapidamente e nem dão tempo para que o jogador se aperceba do que realmente está a acontecer.

Felizmente o conteúdo secundário de Silver Lining acaba por compensar, com vários desafios espalhados pela cidade. Infelizmente continuamos com o problema dos incentivos, uma vez que continua sem existir um bom incentivo para completar todo este conteúdo, à parte de um fato.  A ameaça dos anteriores episódios mantém-se e até nos atiram com algumas artimanhas novas, o que é sempre bom. As missões principais são bastante simples e nunca representaram um desafio, já o conteúdo secundário poderá fazer arrancar cabelos na dificuldade mais elevada.

A interacção entre as personagens é feita através de áudio, com várias chamadas entre Spider-Man e MJ, assim como Miles Morales. Estas conversas focam-se tanto no presente como em alguns momentos da história do jogo mas servem principalmente para destacar a personalidade de Peter. Os encontros com a Silver Sable resultam bastante bem e não fogem ao esperado, sendo a Silver Sable uma personagem que foi bem desenvolvida e mais explorada neste dlc. Já o vilão é tão importante e tão imponente que quase nem me lembrei dele, nem quis acreditar quando o confronto com este começou.

Esta é a pior parte de Silver Lining, apesar de mais uma vez as personagens brilharem, este confronto com Hammerhead deixou imenso a desejar. Ao bom estilo da maioria dos filmes Marvel, ninguém se lembrará deste vilão depois do próximo “filme”.

O terceiro e último episódio acaba por ser um misto de bom e medíocre. Por um lado é mais conteúdo para Spider-Man que vale sempre a pena jogar, é divertido e como um todo este novo universo de Spider-Man é cada vez mais apetecível, mas por outro lado foi uma conclusão sem impacto. Bom desenvolvimento de personagens mas uma história que deixa a desejar, mais conteúdo mas pouco incentivo, é quase como passar à porta de uma pizzaria e não podermos parar para uma fatia.

Da minha parte, fico a aguardar por novidades, quer seja um novo jogo ou mais conteúdo extra para Marvel’s Spider-Man, o que vier a seguir estará certamente debaixo de olho.

Positivo

  • Novo conteúdo
  • Silver Sable
  • Desenvolvimento das personagens do lado dos “heróis”

Negativo

  • História sem impacto
  • Vilão sub-aproveitado

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?

More Posts

Share

You may also like...