Análise – Little Nightmares: Complete Edition

Apesar de já ter sido lançado há mais de um ano, só recentemente é que Little Nightmares foi lançado para a Switch. O lançamento original abrangeu várias consolas da altura como o PC, PS4 e Xbox One e a recepção ao jogo foi bastante positiva. A criação da Tarsier Studios chega então à mais recente consola da Nintendo numa versão que traz os vários DLCs que já foram lançados para este jogo e tudo isto a um preço acessível de 34,99€.

Neste jogo de plataformas e puzzle vamos controlar uma pequena rapariga de nome Six. Six encontra-se nas profundezas de um barco de nome Maw e que está a ser tripulado por todo o tipo de criaturas grotescas e assustadores. Ao invés de usar armas ou algo parecido, Six terá que explorar o mapa e aproveitar-se do ambiente para superar os níveis e até derrotar os vários inimigos que lá encontra.

A sua natureza minimalista obriga o jogador e procurar por soluções sempre que entra numa nova zona mas sem ser demasiado críptica ao ponto de frustrar o jogador. Pequenos aspectos como procurar chaves dentro de um vaso, criar cordas a partir de salsichas ou trepar móveis para chegar a zonas inacessíveis tornam toda a experiência bastante diferente ao longo do nosso percurso. Os monstros que vamos encontrando também oferecem sempre uma nova maneira de abordar as situações, no qual teremos de nos aproveitar do ambiente e das limitações dos ditos monstros para poder prosseguir sem ser apanhado.

Um dos pontos que mantém o jogador sempre com um alto sentimento de tensão é o facto de saber que durante várias vezes temos monstros a perseguir-nos, logo teremos que arranjar uma solução o mais depressa possível. Não é um jogo que procura aterrorizar o jogador com ambientes aterradores, mas sim criar aquela tensão psicológica de que temos de nos mexer o mais depressa possível ou então o facto de não sabermos o que podemos encontrar enquanto fazemos a transição para outra zona.

 

É um jogo fácil de jogar e de manusear, mas por vezes as físicas e a resposta que Six nos dá às nossas ordens poderá não corresponder nos maiores momentos de tensão. Mesmo assim, tais situações acontecem poucas vezes e não estragam a experiência. Para além de podermos movimentar-nos pelo cenário, teremos também que iluminar certas partes pois a escuridão ocupa uma posição bastante predominante neste jogo.

Por falar em escuridão, penso que o visual está excelente para aquilo que tenta transmitir. Apesar de não ser tecnicamente algo espectacular de se olhar, toda a estética visual encaixa perfeitamente na experiência que está a ser transmitida. A conjugação entre a escuridão e as formas grotescas dos monstros combinam muito bem e os cenários vão mudando de uma maneira bastante natural.

Dos vários DLCs que este jogo traz, destaco The Residence como um dos meus favoritos. É uma excelente maneira de fechar esta história através de uma perspectiva diferente e uma maneira diferente de jogar este jogo. Desta vez teremos um rapaz com uma lanterna na mão que tenta iluminar seres que o tentam atacar através da escuridão. Neste DLC teremos que encontrar várias estátuas que nos irão revelar mais sobre uma pessoa misteriosa no jogo de nome Lady.

Little Nightmares é uma excelente aventura que é perfeita para ser jogada num ambiente mais escuro e com uns bons headfones na cabeça. Não é uma história longa, mas é certamente memorável e esta Complete Edition é uma das melhores maneiras para testarmos o jogo.

Positivo:

  • Excelente ambiente
  • Variedade no tipo de inimigos
  • Apresentação sinistra e bem conseguida
  • História interessante
  • Bons puzzles

Negativo:

  • Longevidade
  • Controlar as personagens poderá parecer um pouco difícil