Análise – Lego The Incredibles

Como é costume, a série LEGO está de regresso para recriar um filme através de uma licença oficial. Desta vez foi a saga Incredibles, com direito à recriação do filme original e do que está agora nos cinemas.

Seguindo a linhagem de quase todos os “milhares” de jogos da LEGO lançados até hoje, este faz tudo de uma forma bastante igual, a ponto de não oferecer quase nada de novo, o que pode ser bom ou mau, dependendo claro da vossa paixão pelos jogos LEGO.

Como sempre, este é mais um jogo de LEGO feito para os mais novos, mas a piscar os olhos aos mais velhos, havendo espaço para qualquer um se divertir. Claro que são os mais novos que vão tirar melhor partido, pois é um dos jogos de LEGO mais fáceis dos últimos tempos.

LEGO The Incredibles segue a mesma rotina de sempre. Uma série de níveis com plataformas, puzzles e construções de blocos que segue intercalado por outros segmentos secundários com vários estilos de mini-jogos glorificados. Tirando isso, existe um mapa mundo que pode ser explorado, recheado de coisas para apanhar e fazer, mas que nunca chega a ser tão bom como o de LEGO Marvel Super Heroes.

Sendo baseado nos dois filmes, LEGO The Incredibles também sofre um pouco com a questão de conteúdo. Embora a campanha e o mapa mundo tenham conteúdo suficiente para entreter, existem muito menos personagens para desbloquear. Como sempre continua a haver a hipótese de chegar a áreas secretas com a utilização de personagens com habilidades específicas, por isso existe sempre um bom incentivo para as desbloquear.

A nível visual, LEGO The Incredibles é o normal dentro da geração actual. O visual é bonito mas longe espectacular, mas a fluidez já começa a ter melhor aspecto neste lançamento do que nos anteriores. Quanto à música e vozes, o trabalho é bastante bom, com músicas dos filmes e algumas vozes originais. Alguns actores não são realmente os mesmos, mas o trabalho é bom no geral.

Mesmo que cumpra os requisitos exigidos de um jogo de LEGO feito a pensar nos mais novos, LEGO The Incredibles é mais um exemplo claro de que estas adaptações estão a começar a ficar algo previsíveis e repetitivas. É verdade que é melhor assim do que ter jogos fracos baseados nas suas respectivas licenças, mas está na altura de mudar algo neste sistema.

Assim sendo, LEGO The Incredibles é uma boa opção para os fãs de Incredibles e os mais novos que queiram um jogo dentro da franquia. Ficam já avisados que é mais do mesmo outra vez.

Positivo:

  • Boa adaptação da licença
  • Modo cooperativo prático
  • Cidade vasta para explorar
  • Fluidez sólida
  • Trabalho sonoro

Negativo:

  • Poucas personagens extra
  • Não parece tão completo como anteriores
  • Fórmula já cansada

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.