Análise – Kuroko no Basket

Informação Global:

  • Episódios: 25
  • Ano: 2012
  • Produtores: Production I.G, Bandai Visual, Lantis, NAS, Mainichi Broadcasting
  • Géneros: Comédia, Desporto, Shounen, Vida Escolar
  • Idades: +17
  • Linguagem: Japonesa

Sempre pensei que para se ver um Anime de desporto era necessário gostar da actividade em questão mas, pelos vistos, estou redondamente enganada. Basquetebol? Kuroko no Basket transcende o seu género utilizando pontos característicos de um Shounen tendo o épico como aperitivo. Extremamente popular entre o público feminino e tendo uma imagem de beldades masculinas como poster, criou falsas expectativas tanto que estava a espera de me deparar com algo semelhante a Uta no☆Prince-sama♪ Maji Love 1000% ou Starry☆Sky. Cenas épicas, personagens fáceis de gostar, comédia distinta e desporto, Kuroko no Basket surpreendeu pela positiva e abriu-me as portas para este género desportivo, tanto que já o considero o Slam Dunk desta geração.

A história ronda a equipa de basquetebol da escola Teiko. A classe que fez e ganhou três épocas de seguida, com cinco jogadores individualmente especiais e sobre-dotados  chamados de Kiseki no Sedai (geração milagre). Havia ainda mais outro jogador respeitado por todos, um sexto jogador lendário. Vindo da America, Taiga Kagami chega ao Japão, entra na escola Seirin e conhece Tetsuya Kuroko. Kagami fica chocado com o facto de Kuroko ser muito mau no basquetebol e ser um rapaz com muito pouca presença, tanto que se torna impossível de reparar nele. Mas esta falta de presença faz com que Kuroko consiga fazer passes e roubos de bola sem a equipa adversária consiga notar. Sendo o mítico sexto jogador, Kuroko faz um pacto com Kagami com objectivo de derrotar todos os outros membros da Kiseki no Sedai que de momento jogam noutras escolas e assim, fazer de Kagami o número um.

Quanto à história, esta é bastante consistente no encadeamento de eventos e cumprimento de objectivos mas peca na exposição das personagens. Kuroko no Basket é bastante acessível  focando mais na dinâmica e duração dos jogos e tudo acontece bastante rápido (ao contrário de Captain Tsubasa que demorava um episódio a correr metade do campo). Mostrar os jogos é importante mas saber padrões familiares ou estilos de vida ajuda à interligação do espectador com a personagem que, no caso de Kuroko no Basket, foi totalmente abolido. Um outro aspecto importante é o facto da primeira parte do Anime ser demasiado previsível ao ponto de estarmos inconscientemente sempre à espera de um quebrar de corrente de acontecimentos. Dei por mim a desejar o oposto daquilo que já sabia que ia acontecer, mas a parte boa é que a partir da 2ª metade do Anime, as coisas já não são tão previsíveis  o que faz com que o espectador comece a entrar no “jogo” e a sentir cada emoção e cada momento com mais atenção ao ponto de chegar a torcer na realidade pela equipa que gosta mais (e sim, eu própria cheguei a dizer uns “toma lá! “mesmo pro!” “gogogogo!” sentada na cadeira com fones às da manhã).

Kuroko no Basket cumpre os limites de realidade de um jogo de basquetebol, tem uma história cativante que misturada com elementos Shounen, resulta numa “épicidade” que nunca pensei funcionar. Porém, cenas irreais da área do espectacular foram alvo de criticas pela maior parte dos fãs de basquetebol o que resultou numa discrepância entre notas excelentes e muito boas. Excelência para uns, defeito para outros, pessoalmente senti mais falta da exposição das personagens principais do que deixar-me incomodar por cenas não tão realistas. Se quiserem ver basquetebol a sério mais vale verem um jogo real porque Kuroko no Basket foca-se em mostrar o quanto excitante o basquetebol pode ser, mais direccionado à audiência “mainstream”. Desta forma, podem contar com batalhas épicas, lutas por grandes objectivos, evolução das personagens como equipa e adversários, técnicas e regras reais do jogo e um mundo inteiramente mergulhado no basquetebol como estilo de vida.

Personagens fáceis de gostar e com um aspecto atraente, embora pouco exploradas, são vagarosamente introduzidas tanto como as suas habilidades pessoais. Não temos grande conhecimento do seu passado ou do seu presente, somente o seu dia-a-dia como estudante e jogador de basquetebol. Kuroko no Basket tem uma alargada variedade de personagens, muitas personalidades e sobretudo muitas técnicas de jogo diferentes. São tantas que se  torna complicado decorar todos os seus nomes e caras, mas ao menos conseguiram dar ênfase suficiente ao destaque pessoal de cada um. À medida que são feitos os jogos e são adquiridas tanto vitórias como derrotas, notamos uma evolução tanto física como psicológica das nossas personagens como equipa e como pessoas individuais. Com a utilização de cores vivas e distintas, e mais um ponto Shounen relevante em Kuroko no Basket, as atenções são dirigidas às personagens principais, Kagami e Kuroko, e aos jogadores pertencentes à Kiseki no Sedai.

Começando pelas personagens principais, Kagami Taiga é um rapaz de dezasseis anos que estudou na America e agora está de volta ao Japão. Estudante e jogador, Kagami inscreve-se no clube de basquetebol da sua nova escola Seirin, juntamente com Kuroko, com objectivo de superar a Kiseki no Sedai e ser o numero um. De todos os novatos e com mais aptidão, Kagami e Kuroko são os únicos com permissão de participar nos jogos. Mau nos estudos mas inesperadamente bom na cozinha por viver sozinho, Kagami tem um apetite fora do normal e curiosamente tem medo de cães. Por sua vez, Kuroko é um rapaz também com dezasseis anos mas com muito pouca presença física o que faz com que ele apareça do nada. À primeira vista, Kuroko parece fraco, frágil e com habilidades abaixo do aceitável, mas é considerado um oponente perigoso devido à sua técnica única e especial. Kuroko decide ser a sombra de Kagami e lutar pelo primeiro lugar na tabela dos melhores.

Passando para a arte, Kuroko no Basket tem uma animação bastante actual, limpa e fluída  A maior parte das cenas é trabalhada ao pormenor  principalmente a parte das técnicas, passes, cestos, bloqueios, corridas, etc. onde a utilização do slow motion trouxe vantagens para a dinâmica do Anime. A palete de cores é utilizada com intuito de chamar a atenção ao espectador, temos cores ditas normais do dia a dia mas quando é necessário, cores mais fortes e vivas são utilizadas em momentos ou personagens mais relevantes no momento. Quanto ao desenho, é nitidamente direccionado ao público feminino. Todas as personagens são esbeltas, com um físico bastante trabalhado e atraente, lindos de morrer, altos, baixos, atléticos, magros, com óculos, sem óculos, cabelo grande, pequeno ou rapado, Kuroko no Basket tem de tudo e para todos os gostos. Pessoalmente, achei que o estilo de desenho lembra Bleach, nomeadamente o Kagami que tem uma voz, aspecto e personalidade parecidas ao Ichigo.

A música em Kuroko no Basket é sem dúvida dos melhores aspectos do Anime. Consiste num Rock por vezes misturado com Digital e em certos casos, apenas umas guitarradas fortes. Presente em cenas mais notáveis, de suspense ou momentos decisivos, a música torna-se na chave mestra do Anime no que toca a despertar mais emoção e entusiasmo ao espectador. Os openings e os endings, também num estilo rock e mantém a adrenalina que Kuroko no Basket quer transmitir. O primeiro openingCan Do” e o segundo openingRIMFIRE” são ambos  da autoria de GRANRODEO, o primeiro endingStart it right away” pertence a Hyadain enquanto que o segundo “Catal Rhythm” é dos OLDCODEX.

Quanto aos actores de vozes, curiosamente os mais conhecidos e já famosos ficaram com papeis de personagens secundárias enquanto que os principais são actores menos conhecidos e com menos papeis em carreira. Não querendo estragar as vozes surpresa nem revelar spoilers, vou apenas revelar as vozes das personagens principais. Podemos contar com Ono Yuuki/Kagami (Zenkichi Hitoyoshi de Medaka Box, Tsukahara Kaname de Kimi to Boku. e Tokugawa Shigeshige de Gintama), Ono Kensho/Kuroko (Komori Tarou de Ghost Hound, Hakuryuu Ren de Magi: The Labyrinth of Magic e Tendou Jun de Onigamiden) e Saito Chiwa/Riko (Aika S. Granzchesta de Aria, Senjougahara Hitagi de Bakemonogatari e Akemi Homura de Mahou Shoujo Madoka★Magica).

Resumidamente, Kuroko no Basket é um Anime divertido de se ver, mesmo não gostando de basquetebol ou desporto no geral. Os jogos cativam o interesse e causam nostalgia no que toca em ser o melhor dos melhores e fazer de tudo para ir mais longe do que a expectativa  Se estão a espera de estratégias e execuções extremamente realistas como no basquetebol real não vale a pena verem Kuroko no Basket pois este centra-se na determinação das personagens, comédia, e ultrapassar os poderes do outros como num típico Anime Shounen. Não retrata o basquetebol na perfeição mas é aí que como espectador decidimos se estamos a ver um Anime ou um jogo de verdade, pois se assim fosse, o Anime não teria tanta piada. Mesmo não sendo o meu género, não me arrependo nada de ter dado uma hipótese a Kuroko no Basket, foi uma experiência nova que acabou por alargar os meus horizontes quanto aos Anime de desporto. Já está confirmada a segunda temporada de Kuroko no Basket para breve por isso dêem uma oportunidade que não se vão arrepender. Recomendado!

Positivo:

  • História interessante, dinâmica, acessivel e rápida
  • Segunda metade do Anime é imprevissivel
  • Elementos Shounen e cenas épicas
  • Cumpre com os aspectos e regras principais do basquetebol real
  • Personagens esbeltas, com evolução e fáceis de gostar
  • Animação actual, limpa e fluida
  • Promenor e Técnica Slow Motion
  • Música adequada ao género que estimula emoção, adrenalina e entusiasmo
  • Comédia distinta
  • Segunda temporada já confirmada

Negativo:

  • Background das personagens abolido
  • Primeira metade do Anime é previsivel
  • Protagonistas com actores de voz não tão conhecidos como os das personagens secundárias
  • Cenas irreais