Análise – Kore wa Zombie Desu ka?

  • Episódios: T1 – 12 + 2 ; T2 – 10 + 1
  • Temporada: Inverno 2011 (Janeiro) ; Primavera 2012 (Abril)
  • Produtores: Studio Deen ; Kadokawa Shoten, AT-X, Kadokawa Pictures Japan, KlockWorx, flying DOG
  • Géneros: Acção, Comédia, Ecchi, Harem, Magia, Supernatural
  • Idades: +17
  • Adaptação: Light Novel

A primeira vez em que ouvi falar sobre Kore wa Zombie Desu ka? a minha impressão foi que o anime era semelhante a Rokujouma no Shinryakusha!?, onde o protagonista que andava a viver uma vida normal, via a sua casa ser abordada por diferentes tipos de raparigas. Neste caso um zombie, uma rapariga com uma armadura, entre outras personalidades e que ele teria de aprender a viver com as novas residentes indesejadas. Acontece que não é bem esse o caso, sim o protagonista acaba por acolher uma ou duas raparigas na sua casa, mas o resto da história é diferente.

Não é certo se isto chega a ser para o melhor ou não, uma vez que o anime num momento está a ter um episódio onde as personagens estão a jogar bowling como noutro já estão a enfrentar uma baleia gigante de uniforme. Já para não falar que o segundo episódio deste anime deveria ser o primeiro, uma vez que estabelece os eventos que levaram à situação em que o protagonista se encontra e que é tratado apenas como plano de fundo durante o importante primeiro episódio. O que levanta a questão: ” Será o primeiro episódio forte o suficiente para agarrar o espectador? Ou estabelece apenas o espírito do anime e tenta agarrar-nos por aí?”.

Para começar, Kore wa Zombie Desu ka? (Is This a Zombie?) não é a história de um estudante feliz que recebe um monte de raparigas em casa mas a de um estudante que é assassinado e depois tornado num zombie. Sim, o zombie desta história é o nosso protagonista que não vê a sua vida demasiado afectada devido a isso, excepto o facto de se ter tornado fraco contra a luz do sol e de agora ter a rapariga que o “ressuscitou” (reanimou deverá soar melhor) como zombie a viver em sua casa.

Ayumu Akiwa [Junji Majima], o protagonista desta história, é assassinado por um serial killer enquanto fazia uma pequena excursão durante a noite, mas é trazido de volta pela necromancer Eucliwood cujo nome é abreviado para Eu (ou Yuu). Tendo regressado como um zombie, Ayumu rapidamente adapta-se à sua nova “vida”. O seu novo dia-a-dia acaba por não mudar muito, isto até Ayumu roubar acidentalmente os poderes da uma rapariga mágica, tornando-se então tanto num zombie como numa “rapariga” mágica.

Isto tem de tudo para parecer uma paródia, e digo que o anime funcionaria muito melhor se fosse uma, pois por vezes oferece episódios de dias normais, ou melhor dizendo, dentro do normal o melhor que possível, onde basicamente observa-mos as personagens a fazerem das suas. Depois damos de caras com episódios onde por exemplo as personagens têm que lidar com um serial killer, e a transição juntamente com o contraste entre os dois géneros não cai bem.

Tal como disse, o primeiro episódio apresenta-nos o protagonista e o facto de o mesmo ser um zombie, após esse momento vemos então os acontecimentos que o tornam numa “rapariga” mágica. Esses acontecimentos acabam por não ser demasiado sérios, tendo em conta que até existe um par de piadas pelo meio. Isto leva a crer que é para ser uma comédia, mas por vezes não consegue alcançar o tom necessário para esse efeito. Isto deixa-nos sem saber ao certo o que é que este anime quer ser. Aí entra o segundo episódio, que acaba por explicar tudo, este faz um bom trabalho, mas o resto do anime, provavelmente, não fica ao mesmo alcance.

O segundo episódio tem um ar mais sério, dedicando-se ao protagonista, o que levou à sua morte e à raparia que o reanimou. Acaba por ser bem mais interessante do que o primeiro episódio e de certa forma indica que um confronto com o serial killer poderá ser algo que aconteça no futuro. Infelizmente o resto do anime encontra-se num limbo entre episódios que tentam ter uma história séria e episódios onde fazem o que bem lhes apetece.

Melhor dizendo, a primeira metade da primeira temporada apresenta um vilão, e os episódios vão fazendo o build up para o confronto com esse vilão. Mas como não podia deixar de ser, a resolução deste confronto deixa a desejar, bem como o que se segue. Depois do confronto onde as personagens tiveram que lidar com alguém que as meteu em perigo, acaba por não ter grande importância e todos continuam a viver a sua vida sem apresentarem provas de terem ultrapassado um obstáculo. Isso seria o menos desapontante, não fosse o facto de nestes primeiros episódios a personagem Eu receber um bom desenvolvimento e o resto do anime atirar isso ao ar.

O que me leva a falar da segunda parte da primeira temporada, que chega a ser mais desapontante que a primeira. O motivo do conflito, a aproximação das personagens aos acontecimentos e até a resolução deixam muito a desejar. Parte da culpa deve-se ao vilão que tem pouca presença e desenvolvimento, a outra parte é devido à maneira como as personagens abordam o problema em questão. Se existe um momento para usar a expressão “orelhas moucas” este seria um deles.

A segunda temporada começa com episódios que não têm grande foco em termos de história, ou seja, acabam por fazer parte da secção de episódios soltos onde o anime decide atirar comédia e situações parvas, sem tentar ser demasiado sério. Sendo apenas mesmo nos episódios finais que uma espécie de vilão é apresentado, digo isto desta maneira porque mesmo havendo um breve confronto a coisa não é concluída, mesmo tendo em conta que as personagens prepararam-se para um confronto final.

Tenho a dizer que a segunda temporada conseguiu mudar um pouco a minha opinião quanto ao anime, pois não teve nenhum assunto sério e fez o que conseguia fazer de melhor, a sua comédia bizarra. O “vilão” também consegue ser bom pois nunca cria uma situação séria tal como os anteriores, sendo que o mesmo envolve o elemento de comédia nas suas acções, tornando essa personagem no vilão mais interessante do anime, mas infelizmente, também é o que tem menos tempo de antena.

As personagens provavelmente são a parte mais difícil de avaliar, pois quase nenhuma delas sofre desenvolvimento, e as mudanças que metade das personagens sofre é difícil de categorizar como mudanças. O anime pelo menos conseguiu fazer com que uma ou duas personagens que mal tiveram tempo de antena, serem algo relevantes e uma fonte de entretenimento, mas a maioria, incluíndo o protagonista não crescem muito nem revelam novas mentalidades. Eucliwood continua a ser um caso isolado, já que quando é conveniente para o anime este decide atirar todo esse progresso porta fora. Algo que não referi sobre Eu é o facto de esta não poder falar devido a certas razões, mas existem alguns momentos em que a personagem deita fora algumas palavras e nunca pensei que apenas a simples acção de uma personagem falar fosse o suficiente para aprimorar um anime.

Tendo em conta que o anime é um harem, se procuram romance não tem muito por onde olhar, um par de personagens dizerem que gostam do protagonista não é o suficiente e o próprio nunca faz nenhum avanço que indique que está sequer a pensar no assunto (o protagonista ficar com a cara vermelha ao olhar para seios também não conta). Mas ao mesmo tempo, acabo por achar que nem é necessário, existem uns bons momentos com uma ou duas personagens, sendo esses momentos quase o único motivo das mesmas existirem, mas o anime simplesmente não explora esse lado do romance.

Sei que pela maneira como tenho estado a falar que o anime parece demasiado negativo, e digo que é pela maneira como este aborda o tema. Tal como já disse no início, Kore wa Zombie Desu ka? tem de tudo para ser uma paródia, e muito provavelmente seria uma das melhores caso seguisse esse rumo, mas infelizmente a maneira como a história, o quotidiano e momentos de acção são distribuídos apenas acabam por prejudicar o anime.

Caso se tenham esquecido, isto é um anime sobre um protagonista que é um zombie e também uma “rapariga mágica”, e isso por vezes até faz sobressair a personalidade do protagonista e também os elementos de comédia que funcionam perfeitamente. Mas com a vontade de dar uma entidade às suas personagens, o elemento cómico faz com que o elemento sério seja rejeitado como se fosse um parasita.

Não existe muito mais a dizer sobre Kore wa Zombie Desu ka?, a banda sonora não é algo que se destaque e a qualidade do anime serve bem para o seu tom. No que toca às openings, as duas possuem o mesmo estilo e combinam com a música, e no final até que fazem um bom trabalho, já os endings podiam ser melhores.

A segunda metade da primeira temporada trai as expectativas criadas com a primeira metade, mas a segunda temporada acaba por redimir as coisas, excepto que parece ser incompleto e deixa algumas questões por responder. As personagens não acabam por ser memoráveis, faltando ali algo mais para as chamar para o estrelato.

Se decidirem ignorar os momentos sérios do anime então Kore wa Zombie Desu ka? até é um bom anime e consegue oferecer várias situações boas no que toca a entretenimento. As partes sérias acabam por ter algo em falta e não encaixam bem com o resto do anime, e também o facto das personagens principais não serem bem aproveitadas, cabendo às personagens secundárias darem um passo em frente e mexer com a coisa. Mas quando se dedica à comédia, Kore wa Zombie Desu ka? tem o seu próprio estilo e consegue fazê-lo bem, sendo que devia de o abordar mais vezes.

Positivo:

  • Consegue ter os seus momentos de comédia
  • Personagens secundárias fazem boa transição para personagens principais

Negativo:

  • Tentativa de criar histórias sérias não tem sucesso
  • Personagens não têm desenvolvimento nenhum
  • “Eu” perde o desenvolvimento que recebe