Análise – Football Manager 2018

Nenhum ano ficaria completo sem o lançamento de um novo jogo da série Football Manager. Esta combinação entre SEGA com a Sports Interactive tem dado frutos há mais de uma década, sendo que esta série tornou-se no nome mais falado no que toca à gestão futebolística. Todos os anos a equipa britânica liderada por Miles Jacobson consegue dar um passo em frente e adicionar algo de novo a esta série.

Football Manager sempre foi um jogo com uma arquitectura bastante avançada no que toca ao jogo em si, havendo até casos de jogadores que se passaram de treinadores à frente do seu computador para treinadores na vida real. Durante estes anos o estúdio tem feito um bom trabalho não só a polir as arestas como também a dar um maior apela visual, será que este ano conseguem cumprir a mesma promessa?

Começando com as novas funcionalidades, o jogo dá a opção de podermos vê-las a partir do menu principal. Como a moral e a harmonia de balneário sempre foram os pontos de maior importância para mim num FM, agora temos a hipótese de arrumar de uma forma hierárquica os tipos de jogadores seja por influência, liderança, por forma a criar um maior ambiente neste novo sistema de nome Dynamics. Apesar das diferenças não serem aparentes nem gritantes, oferece uma maior confiança ao treinador.

Mesmo assim, tudo o que este jogo abrange continua a ser bastante interessante, desde aos jogos, contratação de jogadores e gestão de balneário. Nesse aspecto continua a oferecer uma jogo bastante profundo e que nos deixa obcecados seja por qual for o objectivo, um lugar nas luzes da ribalta ou então tirar uma equipa dos lugares mais escondidos para algo mais ambicioso.

Passando cada dia dentro do jogo vamos ser expostos a várias informações importantes como notícias sobre outras equipas, competições e até situações que estejam a acontecer dentro da nossa equipa. Como já afirmei noutras análises, a quantidade de texto e informação que vemos no ecrã poderá assustadora a início, mas novamente a Sports Interactive continua a oferecer boas maneiras de dissecar e ajudar nesse sentido. Desde secções separadas por cores até pequenas bolhas ensinam o que estamos a ver e isso é bastante positivo.

Não estamos sozinhos nesta demanda, tal como acontece numa equipa real, temos o apoio da nossa equipa técnica que nos irá ajudar com pequenos detalhes da nossa equipa que nos possam ter escapado, desde a moral de um jogador, problemas estratégicos ou até ajustes que possamos fazer nos treinos e preparação física dos jogadores. Dentro dos jogos temos também de ter muita atenção e Football Manager oferece-nos todas as ferramentas para podermos adaptar-nos à ocasião, seja acelerar, abrandar o ritmo da nossa equipa e não só.

Apesar de ainda ser um pouco uncanny e responder ao algoritmo do jogo, a apresentação em Football Manager 2018 recebeu um grande upgrade. Vemos mais efeitos visuais, modelos mais detalhados e mais atenção ao detalhe o que torna o jogo mais apelativo no departamento visual. O motor de jogo responde melhor às situações e torna todo o jogo menos estranho de se observar.

Football Manager 2018 é mais um bom upgrade mas que se nota ser menos acentuado em comparação com as edições anteriores. É uma série que ano após ano consegue oferecer boas novidades e tornar o jogo igualmente apelativo. Se são dos muitos que não perdem um jogo desta série, então este ano não vão ficar mal servidos com esta nova edição.

Positivo:

  • Mecânica profunda
  • Incrivelmente viciante
  • Destaque para as Dynamics
  • Continua a ser desafiante em vários sentidos
  • Novas funcionalidades

Negativo:

  • Parece ser um salto menor no que toca à inovação