Análise – Fate/Extella: The Umbral Star (Switch)

A série Fate continua a dar cartas tanto no mundo do Anime como dos videojogos. O recente lançamento de Fate/Extella: The Umbral Star foi igualmente bem sucedido, por isso a Marvelous resolveu dar uma nova vida ao jogo com um lançamento para a Nintendo Switch.

Os jogadores da Nintendo Switch podem contar, pelo menos, com um jogo bastante fiel ao que foi lançado na PS4, PS Vita e PC. A conversão foi quase directa e acaba por ser um misto entre cada uma das outras. Podem relembrar a nossa análise original de Fate/Extella: The Umbral Star aqui.

Sem grandes surpresas, Fate/Extella: The Umbral Star corre bastante bem na Nintendo Switch, havendo apenas um pequeno downgrade no que toca ao departamento visual. De resto, a fluidez está bastante boa e fica estável na maior parte do tempo.

A história está dividida em capítulos e apresenta lados distintos da guerra. Mesmo que tenha alguns momentos bons, especialmente pensados nos fãs da saga, outros tantos acabam ou por ser confusos ou simplesmente parvos dentro do seu contexto.

A jogabilidade segue o estilo clássico de um Musou, com dezenas de inimigos no cenário que servem como saco de pancada. As personagens podem ser alteradas em tempo real, o que permite realizar ataques ou especiais diferentes. Para ganhar é quase sempre necessário ir libertando zonas controladas pelo inimigo e derrotar alguns bosses que vão aparecendo.

Como já referi, a versão Nintendo Switch é praticamente a mesma que as anteriores, com apenas alguns dos DLC de fatos que tinham sido lançados em formato digital. Claro que é bom não ter de pagar por estes extras, mas também é pena que não tenha sido criado nada de próprio para aproveitar as capacidades totais da Nintendo Switch e dos Joy-Con.

Visualmente, existe aqui um downgrade quando comparado com as versões PS4 e PC, mas a fluidez continua a manter uma qualidade aceitável. A nível sonoro, Fate/Extella: The Umbral Star engloba uma banda sonora bastante boa e vozes japonesas bem ao nível do que seria de esperar. Durante as minhas horas de jogo, senti que o inglês era mais do que suficiente, embora tivesse alguns momentos embaraçosos tendo em conta o que os actores tinham de dizer de forma mais “carinhosa”.

Se são fãs de Fate e ainda não compraram a versão PC,  PS4 ou PS Vita deste jogo, então já devem ter percebido que vale bem a pena investir em Fate/Extella: The Umbral Star. Se não são grande fãs de Anime ou jogos ao estilo de Dynasty Warriors, então experimentem antes de comprar, mesmo que seja em qualquer uma das outras plataformas.

Positivo

  • Exploração do universo Fate
  • Várias rotas de história
  • Jogabilidade rápida
  • DLC já incluídos

Negativo

  • Segmentos longos demais para jogar em portátil
  • Nada que aproveite as funcionalidades da consola
  • Downgrade visual
  • Câmara continua a não ser a melhor

 

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.