Análise – F1 2018

A Codemasters é detentora e senhora da marca F1 no que toca aos videojogos, e desde 2009 que tem feito um trabalho notável. O estúdio britânico tem aqui em mãos mais uma oportunidade de criar uma excelente experiência dentro do mundo F1, portanto vamos ver como se encontra este jogo.

F1 2018 é um jogo que continua a seguir as pisadas dos títulos anteriores. Controlar o bólide desta modalidade é bastante intuitivo e desafiante. O jogo consegue acompanhar os jogadores a entender mecânicas mais complexas como é o caso do DRS, como usá-lo e quando. Apesar de ser um jogo que roça um bocado mais o arcade do que a simulação em si, podemos sempre definir as assistências para assim ajustar o jogo à nossa preferência. É engraçado também ver que alguns eventos de condução específicos irão dar-nos a oportunidade de conduzir carros clássicos como o McLaren MP4, Ferrari 312 T2 ou o Lotus 72D cuja dificuldade de condução dará uma experiência diferente.

O destaque continua a ser o modo Career onde vamos criar o nosso piloto, dar-lhe um identidade e lançá-lo para o mundo da Fórmula 1. Toda a nossa performance e decisões terão várias consequências, seja na nossa equipa como nas equipas que também competem. Uma boa performance ou palavras um bocado mais ríspidas na zona de entrevistas terão consequências dentro das divisões da nossa própria equipa como nas equipas adversárias. Por exemplo, uma simples queixa na aerodinâmica do carro poderá afectar positivamente ou negativamente essa divisão.

O sistema de R&D desempenha também um papel fundamental neste modo, no qual iremos acumular pontos para gastá-los no desenvolvimento de certas zonas do nosso carro, um pouco estilo de uma skill tree de um RPG. Zonas como a tracção, aerodinâmica e durabilidade serão melhoradas e isso irá afectar directamente a performance do nosso veículo. Posso também acrescentar que o nível de personalização e ajustes está muito completo podendo assustar alguns jogadores pelo nível de complexidade que nos é apresentado.

A condução nestes modos faz-se bastante bem e se conseguirmos aumentar a dificuldade para um nível mais ajustado com a nossa habilidade, teremos um bom desafio em mãos. Nem todas as equipes focam-se no pódio mas sim em objectivos mais modestos que irão mantê-las na competição, objectivos esses que nos serão comunicados. Fazendo o nosso trabalho e conseguindo boas posições irão garantir o nosso sucesso para assim podermos ingressar numa equipa melhor.

O jogo não ficaria completo se não tivesse os modos mais básicos como contra-relógio, campeonato e não só. O Online está bastante melhorado e com um sistema de Super License que irá penalizar fortemente aqueles que não conseguem passar uma única corrida sem bater contra alguém. O sistema de rank irá colocar dessa forma os melhores jogadores a competir entre si enquanto que os maus serão empurrados para o fundo do ranking.

Graficamente somos novamente apresentados a um jogo fenomenal. Tal como acontece com os anteriores, toda a estética parece ligeiramente mais colorida ou até cartoonesca mas isso só oferece uma identidade própria e continua a ser aparente neste jogo. As alterações climatéricas e os jogos de luz estão ainda melhores com destaque para a iluminação. Um ponto interessante é o facto do Halo (nova protecção sobre o cockpit) não atrapalhar tanto a visibilidade como seria de esperar, claramente é algo que ocupado pontos do ecrã, mas não é tão incomodativo como seria de esperar. Sonoramente é mais um jogo consistente naquilo que faz e atenção aos detalhes e a todo o tipo de sons que podemos ouvir ao testemunhar uma corrida, estão lá.

Apesar de não ser um salto de gigante do título anterior, é sem dúvida uma melhoria. Se F1 2017 era um dos melhores simuladores desta modalidade, F1 2018 é ainda melhor. As várias adições e os ajustes que levou tornaram esta experiência ainda melhor e mais viciante do que nunca. Existem mesmo assim algumas reciclagens que foram feitas do jogo anterior que são impossíveis de não notar, mas que não estragam a experiência.

Mais uma vez a Codemasters põe à prova os anos de experiência, e isso transparece neste novo F1 2018, um jogo quase irrepreensível e uma boa maneira de sentir todo o espetáculo da Fórmula 1 sem ter que ligar a televisão.

Positivo:

  • Sistema Career mais complexo e competitivo
  • Performance muito sólida do jogo
  • Grafismo continua impressionante e cada vez melhor
  • Eventos com carros clássicos interessantes

Negativo:

  • IA um pouco inconsistente
  • Sistema de perguntas e respostas nas entrevistas podia estar mais trabalhado