Análise – Etrian Odyssey 2 Untold: The Fafnir Knight

etrian-odyssey-2-untold-the-fafnir-knight-analise-review-pn_00007

Mesmo que os tempos antigos dos Dungeon Crawlers na primeira pessoa já tenham passado, este é um género que conseguiu vir a adaptar-se às novas consolas e plataformas.

No caso da Nintendo 3DS e PS Vita, estes jogos são até bastante comuns, existindo séries completas em redor deste estilo, como os jogos da série Etrian Odyssey, que sempre chamaram casa às consolas da Nintendo.

etrian-odyssey-2-untold-the-fafnir-knight-analise-review-pn_00008

Muitas edições depois e um com um remake no bolso, eis que a Atlus e a NIS America lançam Etrian Odyssey 2 Untold: The Fafnir Knight, o remake do segundo jogo, que segue o estilo do remake anterior, adicionando uma série de novidades e elementos que o tornam numa experiência mais rica.

A grande novidade de Etrian Odyssey 2 Untold: The Fafnir Knight é sem dúvida alguma a inclusão de um modo história. Este conta uma narrativa que envolve o grupo de personagens do jogo e a forma como estes esão ligados à personagem principal que representam. Memsmo que não seja uma história que fique na memória, tem os seus momentos e até um twist bastante interessante.

etrian-odyssey-2-untold-the-fafnir-knight-analise-review-pn_00004

O kodo história oferece um pouco mais de incentivo do que o modo Clássico que também está presente. Este é praticamente igual ao original, mas todas as personagens da vossa equipa são escolhidas e criadas por vocês, ao bom estilo de um desafio pessoal. Este modo também é um poucop mais difícil e vasto.

Entre os dois, sou maior fã do modo história, pois oferece objectivos para explorar as masmorras e continuar a avançar, ao contrário do explorar apenas porque sim.

etrian-odyssey-2-untold-the-fafnir-knight-analise-review-pn_00005

A jogabilidade continua a manter o sistema clássico de exploração das masmorras na primeira pessoa e preparação na aldeia antes de avançar para o terreno. A aldeia é onde gravam, curam as personagens, entregam ou recebem missões e onde podem comprar novos equipamentos.

Por seu lado, as masmorras são zonas labirinticas onde encontram item e lutam contra inimigos em combates aleatórios por turnos. Tal como nos anteriores, o sistema de mapa está de regresso, o qual permite que vão pintando e escrevendo o mapa no ecrã inferior. Este é um sistema que pode agradar a alguns e a outros nem tanto. Eu já fui maior fã, mas não me incomodou.

etrian-odyssey-2-untold-the-fafnir-knight-analise-review-pn_00006

 

O visual de Etrian Odyssey 2 Untold: The Fafnir Knight continua muito igual ao que já era nos outros jogos da série na Nintendo 3DS, porém, a arte das personagens e certos pormenores ajudam a compensar por alguns elementos repetitivos das masmorras. Outro destaque vai para os inimigos que usam um visual limpo e bonito. As cinemáticas também são bastante apelativas.

Outro ponto alto vai para a banda sonora, que é uma das melhores da série até agora. As vozes também não estão más, mas podiam ser muito mais numerosas.

etrian-odyssey-2-untold-the-fafnir-knight-analise-review-pn_00009

Apesar de ser um pouco “mais do mesmo” para quem jogou o original, Etrian Odyssey 2 Untold: The Fafnir Knight consegue parecer “novo” com a forma como a campanha foi introduzida e ajuda a criar ainda mais contexto na parca história da versão original. Se são fãs do género, vão sentir que o vosso dinheiro foi bem investido neste remake.

Positivo:

  • Inclusão do modo história
  • História com alguns twists
  • Jogabilidade sólida
  • Boa banda sonora

Negativo:

  • Modo clássico parece vazio
  • Podia ter mais diálogos falados

pn-muitobom-ana

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...