Análise – DriveClub VR

Ainda me lembro do lançamento de DriveClub, uma das grandes promessas da PS4 que acabou por ficar manchado com inúmeros adiamentos, chegada demorada ao PS Plus e problemas com os servidores de internet.

Infelizmente, este percurso infeliz não só manchou o nome de um jogo realmente bom, como acabou por ajudar ao encerramento da Evolution Studios, que foram adquiridos pela Codemasters (felizmente).

Na altura, eu gostei bastante de DriveClub e a nossa análise não me deixa mentir, por isso mesmo era natural que o meu jogo prioritário do PS VR fosse nada mais nada menos que DriveClub VR. Quando o experimentei pela primeira vez fiquei satisfeito, por isso estava à espera de um grande resultado final.

driveclub-vr-analise-review-pn_00004

Para começar, é preciso dizer que DriveClub VR é essencialmente o mesmo jogo, mas com todo o conteúdo que foi sendo adicionado e corrigido ao longo do tempo. Por isso mesmo, é praticamente o mesmo jogo, com alguns problemas que surgem associados claramente ao VR.

A condução não foge muito ao que já era, pois é um jogo com perspectivas clássicas dos carros. A grande diferença passa por olhar em redor à medida que se roda a cabeça. A visão acompanha bem o que se passa no jogo, no entanto é dentro do cockpit do carro que faz mais sentido jogar e a forma como eu próprio mais quis jogar DriveClub VR. Normalmente uso a visão do pára-choques (que aqui mostra uma velocidade realmente impressionante), mas aqui, não consegui deixar de jogar de dentro do carro.

Antes de cada corrida é possível inspecionar cada carro, abrindo as portas, sentando nos lugares e olhando de forma realista para os mostradores, volante, saídas de ar e até olhar para o vidro traseiro ao virar as costas. Claro que existem bugs, mas é a coisa mais próxima de estar sentado num carro topo de gama fora da realidade.

driveclub-vr-analise-review-pn_00005

De qualquer forma, tenho pena que o PS VR desfoque tanto as laterais do visor e seja preciso olhar precisamente para algo para conseguir ler com clareza o que está escrito (especialmente nos menus). Por isso mesmo, DriveClub VR está sempre no seu melhor estado quando os carros estão a correr em pista.

A seguir temos o deslize visual, que levou um rombo claro para que pudesse correr com boa fluídez no PS VR. Com este decréscimo, sofreu também o desenho em distância e o pormenor das pistas. De resto, continua tudo a ter um aspecto polído e bonito.

Depois é a vez de me sentir frustrado com uma das maiores omissões, a falta de efeitos climatéricos. Para mim, a chuva, neve e afins de DriveClub são dos melhores que já vi, por isso estava bastante empolgado para os conseguir ver na primeira pessoa. Qual não foi o meu espanto quando descobri que estavam totalmente ausentes. Só existe sol e nuvens, nada de chuva. Como é possível que tenham retirado um dos pontos mais altos e impressionantes do jogo? Será culpa desta versão da PS4 ser mais “fraca”, será que com a PS4 Pro a coisa fica resolvida? Espero bem que sim, pois é ao mesmo tempo uma retirada de conteúdo e um ponto de teste forte do PS VR.

driveclub-vr-analise-review-pn_00006

Do lado positivo da força, temos uma série de provas, carros e pistas nas quais podemos correr. Os verdadeiros amantes de carros vão sentir-se contentes com o que podem fazer e a quantidade de coisas que podem ser desbloqueadas.

Não existe muito de positivo ou negativo a dizer de DriveClub VR no que toca ao som, apenas que tem mais impacto jogar com phones quando usam o PS VR e estão dentro do carro.

DriveClub VR é um óptimo jogo de demonstração do PS VR, mas não deixa de ser uma espécie de versão mais fraca do original. A passagem para o VR obrigou a certos sacrifícios que contam bastante para uma experiência que é claramente mais virada para o impacto visual. Espero que a PS4 Pro ajude a remediar estes problemas e permitir que DriveClub VR possa ser tudo o que merece.

driveclub-carros-gratuitos-agosto-imagens-pn-n_00012

Positivo:

  • Sensação de velocidade
  • Inspecionar os veículos
  • É quase como estar dentro do carro
  • Muito conteúdo

Negativo:

  • Sacrifício visual
  • Pouca visibilidade do conteúdo escrito
  • Ausência de efeitos climatéricos
  • Mau para motion-sickness

pn-muito-bom-2016-3

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...