Análise – Dragon Quest Heroes: The World Tree’s Woe and the Blight Below

dragon-quest-heroes-the-world-trees-woe-and-the-blight-below-analise-review-pn-n_00039

A série Dragon Quest tem sido uma das mais constantes. Mesmo com a Dragon Quest X a explorar o mundo online, o tema continua a ser os combates por turnos e exploração de mundos à moda antiga.

Por isso mesmo, as experiências foram sempre relagadas para Spin-offs, como é o caso de Dragon Quest Monsters e agora, Dragon Quest Heroes.(entre outros lançados no Japão, onde a série é rainha dos RPG).

Dragon Quest Heroes é mais um jogo ao estilo warriors, também ele feito pela Omega Force ao serviço da Tecmo Koei, porém, este é o jogo do género que mais puxa à vertente RPG.

Dragon Quest Heroes tem uma história vasta, muitas personagens icónicas, e uma evolução constante das suas personagens. Começamos por poder escolher entre um rapaz ou uma rapariga, mas é possível jogar com todos os elementos da equipa à medida que a história se desenrola.

A campanha é uma mistura entre cenários com objectivos em salas gigantes que representam zonas, ou áreas abertas com mais liberdade. Os objectivos podem ir desde derrotar X número de inimigos, proteger alguma coisa ou alguém, ou até lutar contra grandes bosses.

Gostei bastante do facto da narrativa permitir que o jogador escolha o que fazer a seguir, havendo missões extra para fazer e zonas de missões antigas que podemos visitar novamente para ganhar mais experiência e apanhar mais items.

As personagens também estão muito bem conseguidas. Cada uma delas tem as suas especialidades, armas, ataques e habilidades especiais. O sistema dá uso a dois botões de ataque mais um botão para libertar o especial, o que aumenta o dano e velocidade de ataque, assim como permite fazer o golpe mais poderoso no final.

Outro elemento de combate são as moedas de monstros, as quais vão caíndo dos inimigos. Estas moedas podem ser de monstros permantentes que lutam ao vosso lado e outros que fazem a sua acção e desaparecem. É uma adição que ajuda a aumentar a estratégia e profundidade.

Entre cada missão existe uma zona de acampamento/outra localização, onde podem gastar dinheiro para comprar novas armas e armaduras, usar items para criar outros novos, falar com as personagens da equipa, mudar quem vai convosco para o terreno, entre outras coisas. É uma forma de aumentar o que podem fazer além do combate.

Outro elemento que me conquistou também de imediato é o visual, que tem uma qualidade bastante apelativa e colorida na PS4. O jogo corre com boa fluídez, com muitos inimigos no cenário e sempre com uma qualidade bastante boa.

A banda sonora é bastante divertida e épica, com as vozes em inglês a serem um destaque. Adoro os sotaques “Very British” de cada uma e algumas variações de outras que aparecem mais tarde. De qualquer forma, também podem jogar em japonês.

Embora possa ser um pouco repetitivo em longas maratonas, Dragon Quest Heroes é o jogo ao estilo Dynasty Warriors mais equilibrado, sólido e divertido que joguei até hoje. O resultado não é perfeito, mas é um primiero episódio com grande qualidade que deve ser visitado por fãs de RPG e de acção, assim como os fãs de Dragon Quest.

[Todas as imagens foram captadas durante as nossas sessões de jogo]

Positivo:

  • História bem encadeadapn-recomendado-ana
  • Elementos RPG
  • Combate e progresso bastante sólido
  • Boa utilização do material onde se inspira
  • Vozes inglesas muito boas
  • Visual colorido e atraente

Negativo:

  • Ausência de modos cooperativos
  • Alguns cenários pouco inspirados

pn-muitobom-ana

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...