Análise – Donkey Kong Country: Tropical Freeze [Switch]

Donkey Kong está de volta com o re-aproveitar da sua mais recente aventura mas agora na Nintendo Switch. Este é o mesmo jogo que vimos na Wii U mas com a adição de Funky Kong como uma personagem jogável, este é indicado para os principiantes no género tendo algumas benesses como flutuar e não ser magoado por espinhos.

Tal como seria de esperar o jogo é extremamente apelativo e imaginativo. Tropical Freeze coloca-nos na pele de Donkey Kong ou Funky Kong e com a ajuda dos restantes primatas teremos que percorrer vários níveis e expulsar os terríveis víquingues que querem fazer da ilha de Donkey Kong a sua nova casa.

Apesar de um início familiar e de estarmos a ser constantemente relembrados das artimanhas que a série utilizou no passado, também existem novidades à mistura. Nem todos os segredos do jogo são fáceis de encontrar e o facto de podermos morrer facilmente faz com que exista sempre algum risco envolvido, o jogo é generoso no número de vidas extra para compensar algumas artimanhas mortais assim como pontos de controlo bem espalhados pelos níveis. Donkey Kong é bastante frágil, qualquer tipo de contacto descuidado com inimigos resulta na perda de um coração, se perderem todos os corações, lá se vai uma vida. Este é um jogo que nos obriga a ser precisos na abordagem e muitas vezes recompensa aqueles com uma maior destreza ao colocar coleccionáveis em locais praticamente inacessíveis numa segunda abordagem ao puzzle.

A jogabilidade é um dos pontos fulcrais deste jogo e é muito satisfatória no momento, aliás o jogo utiliza bastante bem o sistema de vibração dos Joy-Con, que conseguem dar uma sensação bastante credível através da vibração, tendo em conta o que vemos no ecrã. Tanto em modo portátil como no modo TV o jogo corre bastante bem e é um daqueles jogos que não sofre de grandes diferenças entre modos.

Os níveis por sua vez estão bem construídos e para além de guardarem vários segredos existe uma progressão natural na sua dificuldade e originalidade. Existem níveis de plataformas, algumas variantes e também secções em carris que já são clássicos da série. Se simplesmente quiserem passar o jogo, este não é muito complicado, oferecendo um desafio que entretém, por outro lado se quiserem coleccionar tudo, vão ter aqui um jogo que vos vai proporcionar largas horas de entretenimento. Onde o jogo mostra que realmente consegue oferecer um desafio é nos confrontos contras os Bosses do mesmo. Estes conseguem ser complicados e apesar de utilizarem padrões, não é propriamente fácil desviar-mo-nos dos ataques.

Donkey Kong: Tropical Freeze é bastante colorido, utiliza cores garridas e os cenários apesar de não serem extremamente complexos, contêm várias camadas que dão alguma profundidade ao jogo. O jogo é bastante estável, mesmo em momentos em que o cenário resolve ganhar vida e se move descontroladamente a experiência mantém-se com boa qualidade.

Sem dúvida nenhuma que a banda sonora ajuda bastante no que toca a dar vida a esta aventura, existem variadíssimos momentos em que é a banda sonora que dita as regras dos níveis auxiliando os jogadores a acertarem no ritmo.

As personagens que compõem esta aventura são bem-dispostas e no que toca aos nossos amigos primatas Diddy, Dixie e Cranky estes acabam por actuar como habilidades extra para Donkey Kong quando estamos a jogar em formato individual. Se quiserem jogar em formato cooperativo tomam o controlo de um dos Kongs.

Donkey Kong Country: Tropical Freeze é bastante competente, entretém mas não espanta. Acaba por ser uma vantagem ter este título na Switch, uma vez que a sua estrutura por níveis faz com que seja um título fácil de jogar em curtos períodos de tempo enquanto viajamos mas as adições não justificam a compra para quem já o tenha jogado antes.

Positivo

  • Aspecto
  • Níveis interessantes e bem estruturados
  • Lutas contra os Boss são desafiantes
  • Banda sonora
  • É um jogo divertido quer joguem sozinhos ou acompanhados

Negativo

  • Sem grandes razões de compra para quem já jogou o original
  • Por esta altura já vimos vários jogos semelhantes e Tropical Freeze não se destaca

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?

More Posts

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?