Análise – Disney Infinity

Independentemente da nossa idade, profissão, orientação sexual ou estatuto social, Disney é um nome que está associado a qualquer momento da nossa vida.

Desde que me lembro, os filmes da Disney cresceram comigo. Vi o Rei Leão, o Alladin, Mullan, Toy Story, Monstros, Incredibles, Brave, etc, etc, etc. (e nem vale a pena dizer quantas vezes repeti muitos deles).

Como é natural, muitos devem ter pensado por inúmeras vezes como seria interessante ver várias personagens da marca em conjunto no mesmo sítio. Embora isso ainda possa ser possível no cinema um dia, os videojogos tratam dessa parte com Disney Infinity.

Ao principio pode ter inúmeras semelhanças com Skylanders, mas Disney Infinity consegue fazer coisas bem diferentes do que ser simplesmente uma cópia com personagens da Disney. É verdade que existem bases, bonecos e extras, mas isso resulta em vários conteúdos bastante interessantes.

O Starter Kit que recebemos incluía o jogo, 3 bonecos, Sully (Monsters Inc.), Jack Sparrow (Piratas das Caraíbas) e Mr. Incredible (Incredibles), a plataforma de jogo, um disco de objecto (também pode ser um hexágono), o playset de aventura e um monte de manuais de instruções.

Disney Infinity está dividido em duas áreas de jogo, os Playsets relacionados com cada família de personagens e a Toy Box, dois mundos diferentes mas que não podem viver um sem o outro.

Basicamente, ao jogar cada um dos Playsets, entram nos mundos de cada personagem, isto significa que vão controlar Mr. Incredible na luta para proteger a sua cidade de mais um ataque do Síndrome, lutar como Jack Sparrow contra Davy Jones ou combater a escola rival da Monsters University com Sully.

Cada um destes mundos é diferente e englobam dezenas de mini-missões e objectivos que precisam de realizar em mundos abertos. Cada personagem consegue utilizar habilidade próprias e ferramentas pensadas no seu mundo, mas conseguem também saltar, escalar por paredes, entre outras coisas que ajudam a precorrer os cenários.

Cada um destes Playsets decorre como uma história própria e quanto mais jogam, mais evoluem a vossa personagem, o que dá direito a Rolls na Toybox (já lá vamos) e novos objectos que podem utilizar também nas construções do mesmo modo.

As histórias de cada personagem tendem em não ser demasiado longas, mas ainda oferecem algumas horas de diversão e de missões diferentes, recehadas de inspiração e baseadas na temática de cada mundo, onde até nem faltam outras personagens icónicas desse mesmo filme.

Mesmo quando as missões acabam, existem centenas de pequenos objectos de criação espalhados pelos cenários que podem coleccionar. Tendo em conta que os mundos são bastante amplos e o caso do mundo dos Incredibles parece um mini-mapa de GTA, então ainda podem contar com algum trabalho pela frente.

Está então na altura de passarmos à Toy Box, a caixa de maravilhas de Disney Infinity onde podem utilizar quase todo o estilo de construções, peças e temas que vão sendo desbloqueados. Em teoria, podem construir aqui aquilo que bem quiserem e criar objectivos nos vossos cenários para construir jogos de corridas, plataformas e muito mais.

O mais interessante é que podem misturar tudo e mais alguma coisa na Toy Box, fazendo corridas com várias personagens de universos diferentes e objectos que nada têm a ver com os seus filmes.

Embora existam vários tutoriais e dicas em como criar os cenários da Toy Box, o sistema não é propriamente o mais fácil e a início não parece nada intuitivo. Dei por mim a tentar criar coisas básicas com facilidade, mas quando a coisa começava a ficar maior as ferramentas já não parecem as mais fáceis de utilizar, algo que certamente deve ser mais intuitivo com algumas longas horas de experiência e tentativa/erro.

Quanto mais evoluem os vossos personagens (bonecos) através da Toy Box ou aventuras próprias dos Playsets, mais Rolls ganham na caixa de objectos, uma espécie de lotaria onde gastam uma ficha para tentar ganhar um dos melhores objectos bloqueados, algo que vai de um simples adereço a personagens NPC.

A Toy Box é realmente uma jogada de génio e com a experimentação da comunidade, é certo que mais tarde ou mais cedo vão existir desafios de tudo e mais alguma coisa nestes mundos, seja para descarregar e jogar sozinhos ou online com outras pessoas.

Falando em outras pessoas. Caso possuam mais que uma figura de cada playset podem jogar de forma cooperativa com amigos de forma local nesses mapas, o que torna o jogo ainda mais divertido e indicado para jogar com amigos ou com os filhos.

Sendo um jogo da Disney e tendo em conta o legado das personagens que engloba, é natural que Disney Infinity transborde de charme e carisma, mesmo que o seu visual não seja totalmente topo de gama. Os cenários e personagens estão estilizados mas representam muito bem os mundos que tentam recriar e quando entram num Playset, sentem de imediato as diferenças entre um mundo de Monsters e o de Pirates of the Caribbean.

Mesmo que não conte com a vasta maioria dos actores de voz, alguns dos respectivos estão de volta para dar a voz à sua personagem. De resto, os actores convidados fazem um trabalho bastante bom. As músicas por seu lado são um dos pontos altos do jogo e incluem aquele tom típico da Disney que consegue deslumbrar crianças e adultos.

Como é natural, Disney Infinity é um daqueles jogos que exige sempre muita dedicação daqueles que o quiserem acompanhar e o incentivo para comprar novos Playsets e personagens é realmente forte, especialmente por apelar à nostalgia. Há que mencionar também que as estátuas das personagens estão bem conseguidas, com um detalhe bastante bom e o tamanho ideal para poderem ser colecionados.

Disney Infinity é realmente uma aposta ganha por parte da Disney. Temos aqui um jogo que embora procure sempre espremer mais uns euros da vossa carteira, de certa forma compensa pelo vosso investimento com muito para fazer, jogabilidade divertida e um mundo em expansão.

Se são fãs de colecionáveis, Disney e não acham que só as crianças é que jogam jogos destes, então Disney Infinity é uma aposta mais que válida para as consolas caseiras, mas claro, não ser um jogo que sirva para todos os gostos.

(Análise feita com base na versão Wii U)

Positivo:

  • Magia intemporal da Disney
  • Bonecos apelativos
  • Playsets com boa inspiração nos filmes
  • ToyBox permite explorar a vossa criativade
  • Música com bastante qualidade

Negativo:

  • Bloqueia muito conteúdo com barreiras pagas
  • ToyBox consegue ser esmagadora a início
  • Alguns problemas de fluidez

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...