Análise – Diablo 3: Eternal Collection [Nintendo Switch]

Ainda me recordo bem de quando Diablo 3 foi originalmente lançado apenas para o PC. Estava eu ainda no MyGames e o lançamento foi mesmo uma coisa em grande, algo distante do meu entusiasmo parco por jogar no PC. Não fui eu que fiz a primeira análise, mas quase meia dúzia de anos depois, aqui estou eu, a jogar Diablo 3 na Switch e a dar a minha opinião por aquela que se espera ser a última derradeira cartada deste jogo antes do próximo jogo (que não Diablo Immortal).

A chegada de Diablo 3: Eternal Collection à Nintendo Switch é mais uma demonstração de confiança de uma casa externa na Nintendo Switch, de qualquer forma, havia hipóteses para que a aventura não corresse assim tão bem, mesmo tendo em conta que o jogo foi até lançado na geração anterior de consolas.

Tendo jogado a versão de PC e agora a de Nintendo Switch, tenho a dizer que existe mesmo muito poucas diferenças. Tirando o aspecto visual que sofre um pouco em modo portátil e adição de extras exclusivos da consola, Diablo 3: Eternal Collection corre tão bem como seria de esperar e tal como merece. Jogar em modo portátil acabou por ser a minha forma favorita, mas corre igualmente bem e com melhor visual no modo Doca.

Explorar Sanctuary novamente é sempre divertido, mas esta versão do jogo está recheada de conteúdo até ao tutano. Existe toda a campanha, com todas as classes lançadas até agora, modo Arcade, temporadas e todas as melhorias que foram sendo incluídas em cada uma das temporadas que foram passando. Como ainda não tinha tido oportunidade de jogar com o Necromancer, foi a personagem que escolhi para esta análise e posso dizer que é uma das mais divertidas entre as que estão disponíveis.

A Nintendo Switch permite que joguem de diversas formas. Além de haver a possibilidade de jogar tudo sozinho, podem jogar em conjunto com outras pessoas online (tendo subscrição para o Nintendo Online), ou com quatro pessoas localmente. A parte boa é que podem jogar até quatro pessoas com as suas consolas, ou jogar tudo na mesma, mesmo usando cada um, um Joy-Con separado. É verdade que é bem mais limitado e um Joy-Con não consegue fazer tudo, mas é uma boa forma de reunir os amigos em redor da consola, mesmo em formato portátil.

Durante os meus testes, joguei tanto em modo portátil como Doca, embora tenha passado mais tempo a levar a consola de um lado para o outro. O modo portátil tradicional foi o meu favorito, mas também o joguei com o auxílio do Pro Controller, que é, tal como seria de esperar, a melhor forma de o jogar.

A nível visual, não é de todo o melhor jogo da Nintendo Switch, mas cumpre muito bem a sua função. Como é natural, tudo corre de forma mais bonita em modo doca, mas a fluidez é bastante boa em qualquer um dos modos.

De qualquer forma, um dos pontos altos é a imensidão de conteúdos que estão incluídos aqui. Mesmo que já tenham sido vistos em outras plataformas, para um recém chegado ou fã do género, é um baú cheio de coisas boas. Podem até encontrar alguns extras exclusivos da Switch, como um fato especial e compatibilidade com amiibo.

Apesar de ter um preço mais alto que a concorrência e de já ter alguns anos em cima. Diablo 3: Eternal Collection é uma boa aposta para todos os fãs de RPG de acção que tenham uma Nintendo Switch. O jogo corre bastante bem em todos os modos e formatos e podem jogar sozinhos ou com amigos em qualquer lado. Existe aqui também uma quantidade enorme de conteúdo que vai garantir que existe muito para jogar dias a fio. Pode ser que esta aposta ganha faça com que a Blizzard traga ainda mais jogos do seu line-up para a Nintendo Switch.

Positivo:

  • Imenso conteúdo
  • Várias formas de jogar
  • Funciona bem em doca e portátil
  • Jogar com amigos

Negativo:

  • Nada de realmente novo se já o jogaram antes
  • Limitado quando jogado com um Joy-Con
  • Visual não é nada de especial

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.