Análise – DanMachi: Sword Oratoria (Vol. 6)

  • Volume: 6
  • Géneros: Acção, Aventura, Comédia, Fantasia, Romance, Seinen
  • Publicadora JPN: SoftBank Creative
  • Publicadora ING: Yen Press
  • Formato: Light Novel

 

Um dos problemas que tenho apontado na história deste spin off é o facto de a mesma estar a prolongar-se e sem ver uma conclusão à sua frente. Neste últimos volumes o autor tem oferecido algumas respostas que haviam sido colocadas anteriormente, mas o assunto ainda está longe de ser resolvido, com o autor a focar-se antes em desenvolver as suas personagens.

Este novo volume continua com a tradição, o objectivo que os nossos protagonistas estão prosseguir não está mais perto de ser alcançado, mas ao invés disso damos de caras com o passado de duas personagens centrais, as gêmeas Tione e Tiona Hirute.

 

SINOPSE

Many will brace the Dungeon, if it lets them escape their past…

Now that their big expedition is over, Loki Familia is headed to Port Meren in search of the rumoured second entrance to the Dungeon. After arriving, everyone finally gets a chance to relax on the gorgeous beaches of the lakeside city, even if it’s all thanks to their goddesses obviously ulterior motives. But before they settle in, a storm arrives!

Kali Familia and their patron deity of carnage have made landfall, ready to stir up trouble. What’s worse, there seems to be bad blood between them and the Amazon twins, Tione and Tiona!

As sinister shadows darken Meren, the two sisters are forced to face their turbulent history!

 

Algo que me surpreende de cada vez que Fujino Õmori decide abordar é o world building de DanMachi. A ideia e composição geral da série já é interessante apenas por si, com Deuses de mitologias diferentes desceram à Terra e a criarem “Familias” (basicamente guilds), sendo que aventureiros de várias raças decidiram explorar a dungeon graças às habilidades instituídas por esses Deuses. A dungeon é o foco da acção que decorre maioritariamente dentro da mesma, sendo a típica história de aventura e RPG que se pode encontrar, excepto que o autor sabe como trabalhar as suas personagens e a história que está a criar, incluíndo as poucas vezes em que decide abordar outros assuntos fora da dungeon.

Tanto na história principal como neste spin off já é sabido que existe vida para além da dungeon e da cidade de Orario, mas nada tão grande que fosse roubar a atenção das personagens e do leitor. Desta vez a história decide trazer até nós um pouco desse lado que ainda tem muito por contar, oferecendo ao mesmo tempo um olhar sobre o passado de Tione e Tiona, as gêmeas amazonas que fazem parte da Loki Familia e que estão sempre ao lado de Aiz. É devido a isso que logo a início a ideia de as personagens fazerem qualquer tipo de progresso quanto à sua missão principal torna-se imediatamente nula, com o foco a virar-se para o novo acontecimento que está à frente das personagens, a Kali Familia.

Com a história principal já havia sido bem estabelecido que as amazonas não se regem pelas regras normais da sociedade, no entanto as amazonas da cidade de Orario preocupavam-se com o seu dever de aventureiras ou ao darem à luz a um guerreiro forte. Mas a história acaba por ser diferente com as amazonas da Kali Familia, as mesmas apenas preocupam-se em combater e em tornarem-se mais fortes, ao ponto de criarem combates até à morte onde participam desde pequenas, com tudo o resto sendo secundário para as mesmas, incluíndo emoções.

Este volume foca-se então nos problemas em que a Kali Familia está a causar ao tentar trazer Tione e Tiona de volta para os velhos costumes da tribo. Não é algo fenomenal que muda a perspectiva das personagens ou que faça o leitor ter uma nova opinião sobre as mesmas, mas oferece informação sobre o seu passado e ao mesmo tempo sobre o mundo onde a série tem lugar, criando temas interessantes e que poderão ser novamente explorados mais tarde.

Outro ponto que este volume faz é a criação dos eventos para a história que está a ter lugar no volume original, mais precisamente os eventos do volume 8 com Haruime e a Ishtar Familia. Não é algo que fosse necessário mas ao mesmo tempo sempre oferece mais detalhe sobre o mesmo e em como as coisas foram preparadas até ao evento ter lugar. Tudo depende da forma em como este spin off decide lidar com esses eventos, se os ignora ou se apenas faz uma breve menção, o que é algo que iremos ver nos próximos volumes de Sword Oratoria.

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.