Análise – Baccano! (Vol. 1)

analise-baccano-vol-1-logo-pn-ana

  • Volumes: 1
  • Géneros: Acção, Comédia, Drama, Histórico, Horror, Mistério, Psicológico, Romance, Supernatural
  • Publicadora JP: Media Works ; Dengeki Bunko Magazine
  • Publicadora ING: Yen Press
  • Formato: Light Novel

 

Tendo em conta que já analisei o anime, que adaptou uns quantos volumes, vou-me centrar maioritariamente nas diferenças entre a light novel e a sua adaptação a anime (do primeiro volume), bem como de um ou outro detalhe.

Para começar, o primeiro volume de Baccano!, com o subtítulo de “The Rolling Bootlegs“, toma lugar no ano de 1930. Ou seja, a história vai centrar-se nomeadamente em Firo, Ennis, Miria e Isaac. E em como se conheceram, bem como a apresentação de outras personagens, a formação do ambiente e ao mesmo tempo construir alguns cenários que mais tarde serão usados em próximos volumes (e alguns que chegaram a ser adaptados para o anime).

 

SINOPSE

America. New York. 1930.

A bright young bookkeeper named Firo Prochainezo earns his place in an ancient organization. The flamboyant thieves Isaac Dian and Miria Harvent arrive in Grand Central Station with even grander plans. The Gandor mafioso brothers find themselves confronted with a problem. And a small-time thug Dallas Genoard makes a very big mistake.

When the elixir of immortality hits Prohibition-era New York City, not even an undying amoral mastermind can control the chaos that follows. Turns out fortune favors the flat-out crazy!

 

Caso tenham lido a análise ao anime, ou visto o anime, sabem que o estúdio por detrás da adaptação decidiu incorporar várias histórias ao mesmo tempo. Ou seja, em vez de adaptar a história de cada volume no seu devido local, decidiu misturar várias histórias, o que por vezes levava à confusão sobre a timeline dos eventos.

Dito isto, Baccano! não se centra apenas numa personagem, tal como já disse, o foco desta história acaba por ser mais do que apenas Firo. E portanto existe várias transições entre os acontecimentos e personagens. Estas transições acabam por ser bem feitas, se se trata de algo que esteja a acontecer no mesmo local, como por exemplo personagem X encontrar personagem Y, e depois personagem X ir embora. A história muda para a personagem Y, começando a partir do momento em que personagem X está a ir embora.

Ou se for algum evento causado por personagem Z, sem vez alguma ter entrado em contacto com personagem K, a história sabe situar bem o que está a acontecer, para nos oferecer a informação de que os acontecimentos com personagem K se devem a personagem Z. Isto claro acontece em outras histórias, mas a diferença em Baccano! é que o mesmo não recorre ao final de um capítulo para iniciar um novo numa nova perspectiva, o que ajuda a manter a fluidez da acção.

Passando a diferenças para além da abordagem da história. Houve uma ou outra mudança dos acontecimentos e não só. As mudanças na forma como certas cenas aconteceram não foram muito grandes, mas uma “mudança”, intencional ou não, foi a personalidade de Firo. O anime demonstra Firo como uma personagem simpática que se preocupa com os outros, ele é assim, mas a light novel apresenta algo mais que não foi adaptado. Nomeadamente a sua personalidade matreira e, à falta de melhor palavra, “mafiosa“.

Continuando a falar de Firo, o anime também falhou em descrever como Firo e Maiza se conheceram, e a razão pela qual o mesmo se junto à família Martillo. Outras situações deixadas de fora envolvem a personagem Edward, um polícia que se envolve um pouco durante a história do primeiro volume. Não teve grande importância, mas tendo em conta o tema de Máfia que o mundo de Baccano! tem, fico com a impressão que o seu papel se tornará mais importante.

Resumindo, o anime pode ter feito uma boa adaptação, mas o primeiro volume da light novel consegue ser ainda melhor devido a ter a história direita, e com os pormenores que foram deixados de lado no anime.

pn-muito-bom-2016-3

  • Marcupial

    Parece-me bac… interessante, vou dar uma vista de olhos!!!