Análise – Azure Striker Gunvolt 2

Azure Striker Gunvolt 2 é uma sequela ao original de 2014 e apesar de não mudar muito a fórmula, insere muitas novidades incluindo uma nova personagem jogável. Azure Striker Gunvolt 2 é um jogo onde correr, saltar e disparar são as mecânicas essenciais, um pouco ao estilo de Mega Man mas consegue diferenciar-se do mesmo; algo que também acompanha este jogo é o estilo Anime desde a sua história ao aspecto do mesmo tudo faz lembrar as animações do país do Sol nascente.

Azure Striker Gunvolt 2 tem um aspecto pixelizado HD sendo composto por sprites mas com animações excelentes. Durante a aventura vamos encontrar imensos cenários com alguma diversidade e bastantes poderes que parecem ter sido idealizados para mostrar cores e efeitos bonitos. Visualmente é um jogo bastante poderoso, desde os cenários às personagens e a tudo o que se move existe aqui uma excelente apresentação, tendo em conta que estamos a falar de sprites, o jogo tem um aspecto estupendo e dada a plataforma em que está, esta é bem capaz de ser a melhor escolha dado o que Azure Striker Gunvolt 2 ambiciona.

A verdade é que Azure Striker Gunvolt 2 se assemelha imenso a um jogo de Mega Man quando olhamos para ele pela primeira vez e só ao jogar é que nos apercebemos das diferenças, diria até que a série X de Mega Man é a mais parecida. A jogabilidade difere para ambas as personagens: Gunvolt utiliza a sua arma para marcar inimigos e depois utiliza uma onda de raios para os eliminar, podem marcar o mesmo inimigo até 3 vezes para que a descarga elétrica seja mais potente; por outro lado Copen utiliza o dash para marcar inimigos e posteriormente os seus robots companheiros para acabar ele eficazmente, sendo que no fim de cada nível de Copen irão desbloquear uma nova arma.

Estas são as diferenças que mais saltam à vista, de resto Gunvolt e Copen sofrem de pequenas diferenças mas nada que realmente chame a atenção. Uma mecânica deste jogo é o escudo que protege a nossa personagem, este consegue absorver 3 impactos e tem que ser carregado para se manter activo depois de gastar as 3 cargas. Podem carrega-lo vocês premindo baixo duas vezes ou esperar que ele se recarregue. Com cuidado é possível não sofrer dano durante todo o nível mas não pensei que isso é tarefa fácil uma vez que o jogo gosta de nos colocar em situações em que pensar rápido é a ordem do dia.

Depois de percorrer corredores gigantescos é altura de enfrentar um Boss e aqui há um pouco de tudo, desde Boss que são bastante fáceis de derrotar até verdadeiros pesadelos, na sua grande maioria decorar padrões de ataque ajuda e saber utilizar os nossos ataques especiais não para causar dano mas sim ganhar alguns frames de invencibilidade foi a chave para o meu sucesso. Tanto em termos de level design que raramente falha, quer em termos de jogabilidade Azure Strike Gunvolt 2 é imensamente divertido e desafiante, até sou capaz de dizer que este seria um excelente sucessor a Mega Man.

Com um jogo que tem uma boa jogabilidade e um aspecto soberbo falta falar do aspecto sonoro e aqui foi onde tive outra agradável surpresa. No que toca aos momentos chave do jogo as personagens têm direito a voz e a música de fundo ajuda a transparecer algumas emoções que as imagens estáticas não conseguem entregar de uma forma tão rápida. No entanto na maioria dos níveis senti que a música estava lá só para não estarmos em silêncio e aqui acho que apesar de não ser má poderia ser melhor, não existe nenhuma música dos níveis que me tenha ficado no ouvido.

Os Boss são bastante imaginativos e diversificados mas nem todos estão equilibrados. Alguns são apenas pequenas esponjas de dano, outros têm ataques demasiado fáceis de evitar e outros são verdadeiras máquinas de matar que só nos deixaram passar de nível se observarmos os padrões dos mesmos e abusarmos dos sistemas de defesa e dash. Conforme vão avançando no jogo vão também conseguir aumentar as capacidades das personagens e como devem calcular as coisas vão ficando mais desafiantes.

Como um todo Azure Strike Gunvolt 2 é um jogo bastante desafiante e divertido que agradará certamente aos fãs do género e possivelmente até aos curiosos.

Positivo

  • Visual assenta como uma luva
  • Jogabilidade muito bem conseguida
  • Duas personagens jogáveis diferentes
  • Cinemáticas e história bem apresentadas…

Negativo

  • … mas a história não é de todo o ponto forte
  • Alguns Boss são apenas esponjas

 

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?

More Posts

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?