Análise – Avengers: Infinity War (Guerra do Infinito)

Chegou o momento em que a Marvel e a Disney dão finalmente ligação a todos os filmes (e outros estilo de média dentro do universo Marvel), para criar um derradeiro épico onde não é preciso estar a introduzir novamente personagens que já tiveram direito aos seus filmes. No entanto, Avengers: Infinity War é sem dúvida o projecto mais ambicioso, não só por juntar várias personagens importantes e que merecem o seu tempo de antena, como é a primeira parte de algo que foi sendo construído em vários anos e entre vários filmes.

Se até agora a maioria dos inimigos típicos dos filmes da Marvel são personagens poderosas dentro do contexto de cada filme, a presença de Thanos é uma das mais importantes da Marvel e tem vindo a ser servida gradualmente entre easter eggs e finais secretos. Com tantos heróis e vilões para gerir em apenas um filme, é surpreendente ver como a Marvel conseguiu encaixar tudo de forma coesa e ainda dar um final digno de aplausos, não sendo apenas um “não percam o próximo episódio”.

Curiosamente, não é obrigatório que tenham visto os outros filmes, embora seja imperativo que conheçam pelo menos as personagens. Avengers: Infinity War não perde muito tempo com introduções, por isso é bom que conheçam o básico do que é a Marvel e que consigam identificar quando alguém entra em cena. Thanos é construído praticamente do zero, mas a sua presença e motivações são fáceis de perceber e está ao nível do que era de esperar. É para mim, até agora, o melhor vilão que surgiu num filme da Marvel.

Ao contrário do que é normal, Avengers: Infinity War não empurra a história para um derradeiro confronto. Existem diferentes direcções e caminhos para cada uma das personagens, o que cria grupos de aliados estranhos e alguns cortes entre localizações que acabam por trazer algum compasso de espera entre acções. Nem todos eles são interessantes, mas são importantes para a história.

Tendo pouco menos de três horas de duração, Avengers: Infinity War parece adequado para o que engloba, mas dá para ver que muito deve ter sido escolhido e descartado pelo caminho. Este é daquele tipo de filmes que eu esperaria ver uma edição alargada pelo menos com mais uma hora. Fico igualmente impressionado por ver que alguns dos actores mais famosos nem partilham de tanto tempo de antena, por isso foi uma gestão adequada para que todos pudessem ter algum tempo para brilhar.

Sendo um filme da Marvel, já seria de esperar que tivesse uma boa dose de comédia. Nunca senti que esta fosse mal aplicada ou exagerada e até foi bem executada em alguns momentos mais negros. Existem várias referências a outros filmes e elementos da cultura pop, por isso os mais atentos e entendidos nestas áreas vão ter ainda mais com que se entreter. As personagens estão bastante autênticas, por isso os Guardiões da Galáxia, assim como o Homem-Aranha, são bem mais brincalhões, deixando as caras sérias para o Capitão América, o Black Panther e afins.

O encadeamento e construção da narrativa é fácil de seguir e o filme está bem montado. Algumas sequências parecem um pouco inseridas a martelo, especialmente as mais místicas, mas não é nada estranho dentro deste universo. Quem gosta em especial daqueles momentos do herói que chega para salvar o momento, não vai ficar decepcionado.

Tendo em conta que vai haver um segundo filme, não é surpresa que as coisas não ficam resolvidas neste primeiro. Contudo – e sem qualquer spoiler, – quero deixar claro que este é um final mais do que adequado e que rompe com o estereótipo dos filmes de super-heróis com bastante classe.

Avengers: Infinity War é um filme que vale a pena ver no cinema. Existe muito espectáculo visual, com as batalhas épicas e explosões em grandes quantidades. Os realizadores conseguiram capturar a essência de cada um dos universos que colidiam para criar alguma credibilidade, mesmo em momentos em que a Black Widow luta contra um ser super poderoso, ou o Visão tende a não usar o seu poder para se livrar de situações mais simples.

Para qualquer fã de super heróis e deste estilo de universos, Avengers: Infinity War é um verdadeiro mimo. É quase como ter um best-of da Marvel, onde os melhores êxitos estão reunidos. Claro que algumas partes não são tão boas como outras, mas este é o estilo de filme que sempre quisemos ver e que não seria possível há mais de 10 anos. Sendo o melhor de muitas partes, também faz dele algo repetitivo e nunca senti que estava a ver algo realmente novo.

Avengers: Infinity War é o início de algo em grande e uma demonstração de como existe sempre caminho para quem o quer percorrer. É um filme igual a todos os outros, mas que também consegue ser diferente do que já estamos habituados. Fiquei com vontade de ver o próximo filme (agendado para Maio de 2019), mas já começo a pensar como a Marvel se poderá superar depois. Guerras Secretas talvez?

Positivo:

  • Thanos é um vilão como deve ser
  • Uma festa de heróis
  • Bons momentos de acção
  • Não perde tempo com introduções
  • Gere bem o tempo de antena das personagens

Negativo:

  • Parece curto para o que realmente acontece
  • Vilões secundários sem exposição
  • Nada que não tivesse visto em outros filmes da Marvel

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.