Análise – Avengers: Endgame

Chegou finalmente a altura. O grande desfecho para uma das séries de filmes de longa duração mais aguardada de sempre do cinema. Há 10 anos atrás seria impossível pensar que os filmes de super-heróis iam chegar a tal patamar, mas aqui estamos nos em 2019 com Avengers: Endgame (Vingadores: Endgame) a ameaçar até a supremacia de Star Wars para este ano.

Como é natural e tendo visto mais de 80% dos filmes da Marvel lançados dentro do MCU (Universo Cinemático Marvel), também eu estava mais do que ansioso para ver este Avengers. Por isso mesmo, mesmo estando com uma gripe em cima e correndo o risco de ser corrido da sala por causa da minha tosse seca, não podia faltar ao chamamento (felizmente consegui não incomodar ninguém).

Para começar, Avengers: Endgame não é um filme que possa ser visto por toda a gente, especialmente os que nunca viram nada do MCU. É preciso que pelo menos vejam os filmes dos Avengers para perceber o que se passa e o Ininity War para estar relativamente preparado. Se ainda vão a tempo, também não perdem nada em ver pelo menos os 10 filmes mais recentes. A história deste filme não quer saber se estão atrasados ou ignoraram os filmes anteriores. O Endgame parte do princípio que não foram arrastados para a sala de cinema sem a mínima ideia do que vão ver, e se foram, pouca sorte.

Como é lógico Avengers: Endgame começa já com a história a meio e tenta dar um seguimento ao desfecho inesperado do primeiro filme. A história avança por um caminho algo estranho que parece não fazer sentido a início, mas que se revela crucial para a trama. Não esperava de todo encontrar várias coincidências felizes e importantes que servem para que a história avance. Uma delas em especial, é tão agonizantemente má que foi motivo de conversa mal saímos do cinema. É um filme de super-heróis, eu sei, mas não podia recorrer a escrita preguiçosa nesta altura do campeonato.

Tirando o facto de ter vários momentos mais negros, Avengers: Endgame continua a ser aquilo que estamos habituados a ver nestes filmes de super-heróis. Existe muita interacção entre as personagens que adoramos, existe sempre a tentativa de equilibrar exposição com comédia e há uma procura constante por balancear tantas vedetas conhecidas no ecrã ao mesmo tempo. Aliás, este é o filme que dá mais atenção a grande parte das personagens secundárias, deixando actores principais com o seu tempo de antena mais sincero.

Preparem-se para algumas surpresas engraçadas e se conseguiram evitar spoilers, vão perceber depressa que valeu a pena ir para o cinema sem saber grande coisa sobre o filme. Na sala onde estava, dava para ver claramente que os maiores fãs estavam a vibrar com o que acontecia e o filme faz questão de ir rebuscando referências ou fazer com que coisas aconteçam que os fãs sempre estiveram à espera. É muito próximo do conceito de “carta de amor” para quem acompanhou estes anos todos de filmes que levaram até à conclusão desta fase (infelizmente, em 3D no nosso caso).

É complicado olhar para um elenco tão vasto de personagens como é o de Avengers: Endgame e apontar dedos a interpretações mais fracas ou fora de contexto. Acho que por esta altura, já quase todos os actores perceberam quem são as suas personagens e já as interpretam com coração. Claro que nem todos são usados em todo o seu potencial e há várias alturas onde os mais fracos acabam por brilhar frente aos mais fortes, mas esta é uma das sagas onde é natural já fechar os olhos a isso.

Como seria de esperar, o espectáculo visual de Avengers: Endgame é aquilo a que os filmes da Marvel já nos habituaram. Com os cofres do Tio Patinhas cada vez mais recheados de dinheiro, a Disney já nem se preocupa se tem de gastar mais alguns trocos com uns efeitos especiais, uns fatos catitas novos ou até com uma aparição de segundos de uma mega estrela apenas para não estragar a continuidade. Estamos a falar de investimentos gigantes com resultados de igual dimensão que correspondem aquilo que sempre imaginei ao ler as BDs.

Para fazer com que tudo isto funcione, Avengers: Endgame puxa a corda até às 3 horas de filme. É o tempo ideal na minha opinião, pois quando comecei a sentir alguma fadiga, o filme estava já a fazer as suas despedidas e senti que valeu a pena fazer todo este caminho. Na verdade, muitos vão sentir o mesmo que eu e isso é uma verdadeira vitória.

Para quem não prestou grande atenção aos filmes da Marvel, este Avengers também não fará grande diferença, mas o resultado deste filme é o mesmo que o da saga em si. Quando saímos de Avengers: Endgame, o cansaço acumulado das três horas faz lembrar toda a fadiga de vários anos de filmes que nos levaram até aqui. Curiosamente, esta fadiga não é a mesma que sentimos quando estamos fartos, mas sim aquela que nos faz pensar que o caminho foi longo, mas que valeu a pena passar por tudo isto. Nem tudo foi um mar de rosas, nem tudo correu bem, mas houve muita coisa pelo caminho que compensou e grandes momentos que foram construindo este final que é exactamente feito à medida dos fãs e das grandes expectativas.

Avengers: Endgame não é o filme perfeito de super-heróis, não é o melhor filme de sempre e também não é um clássico do cinema, mas será sempre uma referência dentro do género e uma inspiração para outros que vão tentar seguir as suas pisadas. Neste momento, só consigo ver a Marvel a superar este marco nas próximas fases dos seus filmes. Será que temos X-Men e Fantastic Four? Será que o próximo vilão é Doom ou Galactus? Será que haverá Guerras Secretas? Por agora é tudo muito vago, mas o certo é que esta fase de filmes fecha com o dever de missão mais do que cumprida. Dito isto, vão ver. Vale bem a pena.

Positivo:

  • Bom balanço entre personagens
  • Narrativa inesperada
  • Filme tem o tempo certo
  • Humor nos sítios certos
  • Feito a pensar nos fãs

Negativo:

  • Acasos demasiado felizes
  • Perde gás a meio
  • Porque é que não há pós-créditos?

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...