Análise – Attack on Titan 2

Attack on Titan é cada vez mais uma série de culto no que toca ao universo do Anime e os fãs mais dedicados que não puderam esperar pela série, continuam a ler o manga à procura de mais respostas para algumas das perguntas que ainda estão por responder.

Entretanto, a Tecmo Koei não quis deixar de aproveitar o lançamento de uma segunda temporada, para lançar também um segundo jogo baseado no Anime. Desta vez, com uma apresentação diferente da história, mas refazendo parte do caminho do primeiro.

Attack on Titan 2 faz com que comecem por criar uma personagem que vai integrar o pelotão na mesma altura que Eren, Mikasa, Armin e os restantes. Isto faz com que a vossa personagem seja um dos centros das atenções, mesmo que seja um guerreiro/a silencioso. Como não fiquei grande fã da série, fiquei surpreendido por me sentir tão preso ao jogo e a forma como as coisas decorriam em meu redor, o que é bastante bom.

Embora não explore a fundo essa vertente, Attack on Titan 2 até permite que interajam com as estrelas da série para criar uma relação de amizade mais forte e ganhar algumas habilidades pelo caminho. A forma como a afinidade evoluí não é a mais linear ou fácil de perceber, mas aposto que os fãs da série vão adorar ter a sensação de que estão frente a frente com os heróis da série.

Se jogaram o primeiro, as primeiras horas deste são um recapitular do que se passou antes, se bem que agora, da perspectiva da vossa personagem. Vão passar pelos treinos, derrotar os primeiros titãs que invadem as muralhas e seguir para os prados e florestas além da muralha. Pelo caminho é possível recrutar colegas para a equipa, fazer algumas missões alternativas e usar mantimentos para construir torres de controlo onde se pode recolher materiais e criar linhas de defesa.

Embora não seja intuitivo e demore um bocado a criar habito, tenho a dizer que a jogabilidade de Attack on Titan 2 é bastante divertida quando se apanha o jeito. Atacar Titãs com ataques furtivos ou usar as máquinas para o rodear e atacar os pontos fracos é algo que ainda custa a coordenar, mas quando resulta, é bastante satisfatório.

Existem vários tipos de titãs com fraquezas, alturas e habilidades diferentes, por isso a coisa via ficando cada vez mais exigente. Alguns titãs surgem com pontos fracos e ficam irritados facilmente. Havendo a necessidade de tomar atenção às armas e à quantidade disponível de gás. Mais lá para a frente, vai haver a possibilidade de andar a cavalo e outras ferramentas vão ficando disponíveis para melhorar o equipamento e armas.

À medida que a história avança, vão sendo desbloqueados novos conteúdos para um modo secundário onde podem jogar com as personagens da série numa série de desafios. Além disso, existe também um modo online para jogar de forma cooperativa ou competitiva com outros jogadores. Esta última opção coloca as equipas a tentar abater o máximo de Titãs para somar pontos. Só é uma pena que o Online estivesse tão vazio sempre que tentava encontrar alguém.

A minha experiência com Attack on Titan 2 foi tida na Nintendo Switch, certamente a plataforma menos poderosa onde o jogo foi lançado, no entanto, posso dizer que até fiquei bastante surpreendido com o resultado final. É verdade que existem muitos cenários mais vazios, muitas texturas pouco polidas e algumas quebras de fluidez, mas é no global, mesmo em modo portátil, uma aventura bastante boa. Destaque vai claramente para o visual usado nas cinemáticas e no detalhe das personagens. No que respeita à banda sonora e vozes, o trabalho foi bastante bem feito, com as vozes originais em japonês e uma banda sonora que complementa muito bem a acção.

Como não fui eu que analisei o primeiro, sei que pode ser penoso para quem o fez, jogar a história toda novamente, mas se até alguém como eu que não é fã de Attack on Titan gostou do que aqui foi feito, é de esperar que os fãs fiquem satisfeitos. Attack on Titan 2 está longe de ser um jogo perfeito e sofre com as convenções típicas do género, mas não deixa de ter as qualidades necessárias para oferecer momentos bem passasdos.

Vejam aqui nossa análise de Attack on Titan: Wings of Freedom

Positivo:

  • Presença da nossa personagem
  • Caçar titãs é divertido
  • Apresentação bem conseguida
  • Podem jogar com os heróis nos modos extra

Negativo:

  • Online básico e algo vazio
  • Demora muito a habituar à jogabilidade
  • Vários elementos mal explicados
  • Cenários algo vazios

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.