Análise – Amnesia: Memories

amnesia-memories-analise-review-pn_00013

Amnesia: Memories é uma Visual Novel que saiu originalmente para a Playstation Portable (PSP) em 2011, na qual o jogador joga como “Heroine”, uma personagem silenciosa que perdeu as suas memórias e vê-se forçada a começar do zero. A protagonista começa então a desenvolver uma relação com um dos 5 (inicialmente 4, visto que o 5º é desbloqueado mais tarde) personagens masculinos, dependendo da história escolhida, e é assim que vai recuperar as suas memórias. Amnesia: Memories consegue ser um “otome” (visual novel direccionada a raparigas) misterioso, chegando a ser bastante divertido.

O jogo começa com a personagem principal num cenário estranho, onde um ser de outro mundo conta que de alguma forma, ficou preso no nosso subconsciente e que enquanto não recuperarmos as nossas memórias, este não pode sair.
Inicialmente, Orion dá ao jogador a escolher entre 4 mundos diferentes (ou routes): Heart World, Spade World, Diamond World e Clover World.

amnesia-memories-analise-review-pn_00008

 

Eu escolhi começar com o caminho do Heart World, ou seja, a route na qual a minha personagem namora com Shin, um rapaz misterioso e no qual nos sentimos um pouco como um detective. Nesta route existem vários mistérios por resolver e que na minha opinião, são empolgantes, enriquecem a história e agarram o jogador.
De início não gostava muito do Shin, mas à medida que fui jogando e avançando no jogo, fui entendendo melhor a personagem e dá para perceber muitos dos motivos dele.

Em Amnesia: Memories, reparei que voltar atrás e poder fazer replay ou ‘’rewind’’ às escolhas feitas tem bastante valor, já que cada escolha é importante, e pode levar a um final diferente. Temos 5 routes diferentes, com um final bom, um ou mais finais normais dependendo da route escolhida, e pelo menos um final mau para cada uma, o que no total dá 20 finais diferentes. Infelizmente, só se pode ter 24 save files na PS Vita, o que nos dá alguma limitação quanto aos saves que vamos fazendo ao longo de cada route (já agora, cada route leva duas a três horas a completar, dependendo do tempo e velocidade do jogador, o que no total nos dá pelo menos 24+ horas de jogo).

amnesia-memories-analise-review-pn_00007

Cada route tem uma história bastante diferente das outras, o que me surpreendeu bastante pela positiva e a única maneira de recuperarmos as memórias da nossa personagem, é passar o máximo de tempo possível com o tal namorado que se escolhe no início, dependendo da route. Por algum motivo, estes têm o hábito irritante de nos esconder coisas importantes até mais tarde na história, e dependendo da route em si, há a grande possibilidade de termos os nossos amigos de infância a lutarem pelo amor e atenção da nossa heroína, ao ponto de tomar medidas drásticas para tal (algumas um pouco psicóticas).

A arte  de Amnesia: Memories é muito boa para uma visual novel, os personagens falam em japonês, piscam os olhos, movem a boca quando falam e mudam de expressão conforme o diálogo, parecendo mais fidedigno. Os fundos (backgrounds) são detalhados e bem trabalhados, as cinemáticas são muito boas e chamam a atenção do jogador. Por seu lado, a música é agradável e fica no ouvido.
Também adorei os mini-jogos, visto que para além de estarem relacionados com a história, são divertidos e viciantes, embora sejam simples.

amnesia-memories-analise-review-pn_00002

Uma coisa de que não gostei foi o facto da personagem principal ser um pouco passiva, e de a maioria dos namorados que podemos escolher, (dependendo da route), serem um pouco agressivos ou terem atitudes um pouco abusivas ou sexualmente agressivas com a personagem, como beija-la sem permissão ou deitar a personagem abaixo para depois dizer que foi para o bem dela ou porque ‘’gostam dela’’, algumas atitudes eram um bocado psicopatas ou ridículas e isso irrita profundamente, mas apesar de tudo, os personagens crescem ao longo da historia e dependendo das escolhas feitas, a situação muda de figura.

Outro ponto negativo é Orion, pois não sabe quando se calar e os diálogos chegam a ser aborrecidos e irritantes, conseguindo fazer escolhas ou dar sugestões à nossa personagem que não fazem sentido absolutamente nenhum. Felizmente com o avançar da historia, o Orion torna-se mais tolerável, mas não deixa de ser frustrante, como quando refere o óbvio ou tenta impingir certas escolhas em nós.

amnesia-memories-analise-review-pn_00004

Concluindo, Amnesia: Memories tem vários pontos fortes (visual bastante bom, vozes muito boas e em japonês, historia interessante, bons personagens, vários finais à disposição) e pontos negativos (necessidade de gravar várias vezes, Orion consegue ser bastante chato, o parameter system, apesar de ser uma boa ajuda, é difícil de manobrar e não nos dá toda a informação necessária para tomar as decisões mais correctas). No geral, é uma visual novel aliciante que mantém o jogador interessado.

Para quem gosta de mistérios e de jogos deste género, recomendo vivamente, pois é um jogo que não se esquece tão facilmente.

amnesia-memories-analise-review-pn_00012

 

Positivo:

  • História interessante
  • Excelente trabalho vocal
  • Minijogos são bastante divertidos
  • Boa artwork e cinemáticas
  • Vários finais possíveis
  • Óptima jogabilidade

Negativo:

  • Necessidade de salvar o progresso feito no jogo várias vezes
  • Save files limitados
  • Orion consegue ser bastante irritante
  • O parameter system é difícil de manobrar
  • Algumas personagens conseguem ser um pouco psicóticas

pn-muitobom-ana

Adriana Silva

Fã de videojogos, especialmente RPGs, Visual Novels e jogos de ritmo. Gosto de anime, light novels e séries de televisão. Devido à escolha de Steins;Gate, vim parar a esta linha temporal. Cosplayer de coração, aspiro ser uma grande treinadora de Pokémon. (pelo menos melhor que o Ash…) Se isso não der certo, contento-me com governar Hyrule ao lado do Link.

More Posts - Website

Share

You may also like...