A crise do Pokémon GO – A Pau Com os Ursos

O Pokémon GO continua a ser o centro de quase todas as atenções. Seja por fazer muita gente feliz, ou por irritar outros tantos.

Depois de vários vídeos dedicados a Pokémon GO, chegou a altura do Daniel falar sobre o jogo em si e prever o destino desta App.

Desde o problema dos servidores até aos bugs e remoção de funcionalidades, existe muito em jogo para este fenómeno poder sobreviver às dores de crescimento.

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

  • _GM_

    Eu não tenho jogado muito o Pokemon Go. Pelo menos como outras pessoas.

    Geralmente tenho jogado quando saio do trabalho. Vou para casa a pé, ando cerca de 50min, e é sempre mais km para chocar ovos e se encontrar alguns Pokemons pelo caminho, vou os capturando. Isto para não falar de Pokestops e Gyms.

    Ainda hoje capturei um Gastly.

    No entanto, eu tenho uma “queixa”. O que não gosto de momento é o sistema de encontrar os pokemons. Antes tinha aquele sistema das patas, mas que nunca funcionou. Mas agora nem isso têm. O meu problema é que as vezes aparece me Pokemons Nearby, quando estou num local especifico, e quando já estou bué longe desse local, ainda está lá como Nearby. Mas se desligar o jogo e ligar de novo, já não aparece. Não quero estar pouco a pouco a fazer reset ao jogo para ver se determinado Pokemon ainda encontra se nas proximidades.

    Fora isso, até tenho gostado. Pena é que estou ficando com dificuldades em ter Pokemons com mais CP. Tenho dois gyms mesmo ao pé da minha casa, mas estão quase sempre a ser “dominados” por malta da Team Mystic. Eu sou da Team Valor. Acaba por ser mais complicado treinar os meus Pokemons.

    Em relação ao futuro de Pokemon Go, primeiro eles que concertem o jogo, e metam o ainda mais operacional, com mais funcionalidades, como batalhas normais, etc…

    Dentro de 1 ano a 1 ano e meio, metam os Pokemons da segunda geração. Passados mais 1 a 2 anos, metam Pokemons da terceira geração, e por aí afora. Vai sempre haver mais para capturar, para treinar, etc..

  • Lobeon

    O meu telemóvel é tão bom mas não consegue correr o Pokémon Go.
    Se calhar deve ser por ser daqueles antigos que só dá para fazer chamadas, mensagens de texto e pouco mais, por isso não sei como enfiar o Pokémon Go lá dentro…

  • Jorge Fernandes

    Concordo com o que foi dito, acho que se calhar só faltou abordar ou aprofundar 2 temáticas.

    Relativamente às falhas graves da Niantic, tirando a questão do bug das “3 patas”, também é clamorosa a falha relativamente a não ser possível a criação de novos pokéstops. Sendo de Lisboa não tenho esse problema, mas conheço gente a ser impedida de jogar porque não tem pokéstops nas suas localidades.

    Na parte mais social, vejo por todos os lados que o jogo para além de incentivar à actividade física e afins, também nos leva a interagir e conhecer novas pessoas. Nesta parte fico sempre com muitas reservas, porque a meu ver não se pode generalizar a todas as faixas etárias, especialmente a quem por motivos de trabalho, família e afins leva um horário de jogo intermitente e a horas tardias.

    Por fim, sinceramente ainda não percebi se ser de dia ou de noite afecta minimamente o spawn de pokémons. Sempre foi dito que a probabilidade de pokémons de água aparecerem ao pé de rios e afins foi estudado, embora também não se verifique a 100%, mas seria assim tão difícil (obviamente que não) ter tipo as caterpies, pidgeys, weedles só a aparecer de dia, e com o anoitecer aparecerem os Zubats, Gastly’s e companhia?

  • Ghost

    Everybody playing pokemon go and im sitting here playing pokemon reborn.